sábado, 31 de março de 2012

31/3 - BRASIL! BRASIL! de 30/3/12

Brasil! Brasil!



Posted: 30 Mar 2012 06:24 PM PDT



Posted: 30 Mar 2012 06:20 PM PDT

Antes mesmo do mensalão, Policarpo Júnior já atuava em sintonia com Carlinhos Cachoeira, a quem chamava de "empresário de jogos" na revista; filmes gravados ilegalmente foram usados à época contra deputados do Rio; na Monte Carlo, há 200 ligações entre eles

Brasil 247

A parceria entre o jornalista Policarpo Junior, editor-chefe e diretor da sucursal da revista Veja em Brasília, e o contraventor Carlinhos Cachoeira é anterior e vai além dos 200 telefonemas entre eles, grampeados pela Polícia Federal, feitos no período de 2008 a 2010. Sob o título de Sujeira para Todo Lado, reportagem assinada por Policarpo em 3 de novembro de 2004, na edição 1.878, teve como efeito prático criar um clima político adverso à prisão de Carlos Cachoeira, cujo pedido neste sentido havia sido feito pela unanimidade dos 58 deputados estaduais do Rio de Janeiro. Eles aprovaram o relatório final da CPI da Loterj, mas a reportagem de Veja, feita com base em conversas gravadas por auxiliares de Cachoeira entre eles próprios e o então deputado federal pelo Rio de janeiro André Luiz, trata de cercar de suspeitas a atuação da própria Comissão. No texto se diz que Cachoeira só teve seu pedido de prisão requerido porque foi vítima de extorsão e se recusou a pagar R$ 4 milhões para sossegar os ânimos dos deputados estaduais. Uma vítima, portanto, e não um réu, como era o caso.”
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 30 Mar 2012 06:05 PM PDT

Mauro Santayana

“A cada ano, quando chega a época da Cúpula Presidencial dos BRICS – a quarta edição desse encontro acaba de terminar em Nova Delhi, a capital indiana – torna-se cada vez mais evidente, para o observador atento, o patético esforço da mídia “ocidental” (entre ela boa parte da nossa própria imprensa) de desconstruir a imagem de uma aliança geopólítica que reúne quatro das cinco maiores nações do planeta em território, recursos naturais e população e que está destinada a modificar a o equilíbrio de poder no mundo, no século XXI.

Essa estratégia – com a relativa exceção dos meios especializados em economia - vai de simplesmente ignorar o encontro, à tentativa de diminuir sua importância, ou semear dúvidas sobre a unidade dos principais países emergentes, tentando ressaltar suas diferenças, no lugar do reconhecer o que realmente importa: a política comum dos BRICS de oposição à postura neocolonial de uma Europa e de um EUA cada vez mais instáveis, que se debatem com um franco processo de decadência econômica, diplomática e social.

Para isso, a mídia ocidental – incluindo a “nossa” - ignora os despachos das agências oficiais dos BRICS, principalmente as russas e as chinesas, que ressaltam a importância do Grupo e de suas iniciativas para suas próprias nações – o Brasil inexplicavelmente ainda não possui serviços noticiosos em outros idiomas, coisa que até mesmo Angola utiliza, e muito bem – e se concentra em procurar e entrevistar observadores “ocidentais” ou pró-ocidentais situados em esses países, que se dedicam a repetir a cantilena da “impossibilidade” do estabelecimento de uma aliança geopolítica de fato entre o Brasil, a Rússia, a Índia, a China e a África do Sul, baseados nos seguintes argumentos:

- A “distância” entre o Brasil, a África do Sul, e a Rússia, a índia e a China, como se em um mundo em que a informação é instantânea e um míssil atinge qualquer ponto do globo em menos de quatro horas, isso tivesse a menor importância.”
Artigo Completo, ::Aqui::


Posted: 30 Mar 2012 05:50 PM PDT

Altamiro Borges, Blog do Miro

“Depois de Demóstenes Torres, o falso moralista do DEM flagrado em negociatas com o mafioso Carlinhos Cachoeira, agora é a vez do senador José Agripino Maia, presidente nacional dos demos. O Ministério Público do Rio Grande do Norte acaba de enviar à Procuradoria-Geral da República (PGR) um pedido de investigação sobre a sua ligação com a máfia da inspeção veicular no Estado.

A solicitação foi feita com base num depoimento do empresário José Gilmar de Carvalho Lopes, preso pela Operação Sinal Fechado da Polícia Federal. Ele denunciou o repasse de R$ 1 milhão ao senador e a Carlos Augusto Rosado, marido da governadora Rosalba Ciarlini, também do DEM. O repasse ilegal, feito em dinheiro, ocorreu durante a campanha de 2010 e a grana não foi declarada na Justiça Eleitoral.

No sótão do apartamento do demo

Segundo a Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, José Gilmar é sócio oculto do advogado George Olímpio, apontado como mentor das milionárias fraudes na inspeção veicular no Detran-RN. Em 24 de novembro do ano passado, mesmo dia das prisões de envolvidos no esquema, o empresário disse que seu sócio relatou ter feito pagamentos a Agripino e Rosado.

“A negociação teria ocorrido no sótão do apartamento do senador em Natal. Agripino nega ter recebido propina, mas diz que Olímpio esteve no imóvel, interessado em implementar o contrato de inspeção veicular no governo de Rosalba”, relata o Estadão. As denúncias são graves e caberá ao PGR encaminhar ao Supremo Tribunal Federal (STF) o pedido de abertura de investigação.”
Artigo Completo, ::Aqui::


Posted: 30 Mar 2012 05:28 PM PDT

Educação elitizada, saúde privatizada, projetos de cultura abortados: o Brasil de 2012 não se livrou das heranças do golpe contra João Goulart em 1º de abril de 1964

João Peres, Rede Brasil Atual

– A instalação da Comissão da Verdade, as ações contra agentes do Estado envolvidos em torturas e sequestros, manifestações pró e contra a punição de militares: o Brasil de 2012 não tem as manifestações de massa das nações vizinhas quando se trata de direitos humanos, mas não se pode afirmar que impere o marasmo de outrora. 

Passados 48 anos do golpe contra o presidente constitucional João Goulart, a transição lenta, gradual e segura proposta pelos militares segue o curso do rio, com águas não tão mansas. É bem verdade que o regime autoritário que vigorou durante mais de duas décadas é um ilustre desconhecido para boa parte da população, ou um fato distante, mas quem desconhece os efeitos de uma educação de nível vexatório? Ou a dificuldade em contar com o serviço público de saúde?

A recente movimentação em torno do legado da ditadura ajuda a que o 1º de abril, data em que os militares deixaram a caserna – com apoio de parte da sociedade civil –, sirva à reflexão sobre os rumos do país, da mesma maneira que ocorre no 24 de março argentino. Enquanto saudosos defendem que se vire essa página da história, é razoável propor que, antes de virá-la, possamos lê-la. 

A educação que se recebe atualmente tem, e muito, ligação com aquilo que foi feito lá atrás, nos anos seguintes ao golpe. A filósofa Marilena Chauí, professora aposentada da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP), considera que o acesso exclusivo ao ensino superior, deixando de fora as classes baixas, foi o prêmio garantido a setores da classe média que formaram um certo esquadrão ideológico do regime. 

A transformação no currículo escolar e a orientação dos cursos universitários a uma formação técnica foram, para a professora, o caminho encontrado para a formação rápida de uma mão de obra “dócil”. "Além disso, eles criaram a disciplina de educação moral e cívica, para todos os graus do ensino. Na universidade, havia professores que eram escalados para dar essa matéria, em todos os cursos, nas ciências duras, biológicas e humanas. A universidade que nós conhecemos hoje ainda é a universidade que a ditadura produziu", relembra.”
Artigo Completo, ::Aqui::


Posted: 30 Mar 2012 05:14 PM PDT

Pré-candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PSDB, José Serra já repensa vice do DEM em chapa, enquanto os pré-candidatos democratas Rodrigo Maia, do Rio de Janeiro, e ACM Neto, de Salvador, temem interferência do caso entre o ex-líder do DEM no Senado e Carlinhos Cachoeira em suas campanhas


A repercussão das relações entre o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) e o bicheiro Carlinhos Cachoeira extrapolou o Congresso Nacional e as gravações que revelam a intimidade entre os dois amigos devem atrapalhar o já combalido Democratas nas eleições deste ano. Incomodados, candidatos a prefeito do partido em todo o país já cobram do presidente nacional da legenda, senador José Agripino Maia (RN), uma saída rápida para o caso. O tucano José Serra, pré-candidato à Prefeitura de São Paulo, também já repensa a possibilidade de compor chapa com um vice do DEM.

O desconforto geral está registrado em notas da coluna Poder Online, do portal IG. Depois de se solidarizarem com o ex-líder do partido no Senado, os colegas temem ter suas campanhas afetadas pela péssima repercussão do caso Demóstenes-Cachoeira, que piora a cada dia. Pré-candidatos do partido no Rio de Janeiro e em Salvador, respectivamente, os deputados federais Rodrigo Maia e ACM Neto estariam, inclusive, com raiva de Demóstenes.

A Executiva Nacional do DEM iria se reunir na próxima terça-feira para começar a discutir o destino do seu outrora grande expoente moral, mas o encontro foi cancelado por Agripino. Membros do partido em Goiás foram escalados para tentar convencê-lo a deixar a legenda antes da abertura de um processo que possa resultar na sua expulsão.”


Posted: 30 Mar 2012 03:41 PM PDT

A presidente Dilma Rousseff disse, nesta sexta-feira, em Nova Déli, na Índia, que este é o século de um novo caminho das Índias, em uma referência à rota marítima que levava os europeus aos portos indianos e que passava pelo Brasil, nos tempos da Colônia.

Iracema Sodré, BBC Brasil

"Vamos criar este corredor entre Brasil e Índia de tal forma que possamos nos orgulhar de termos iniciado uma nova era. (...) Este século 21 é o século dessa nova carreira das Índias", disse a presidente durante o encerramento do fórum empresarial Brasil Índia, realizado logo após a Quarta Cúpula dos Brics.

O objetivo do evento - que contou com a participação de 60 empresários brasileiros - é incrementar e diversificar as relações entre os dois países.

Em 2011, o comércio bilateral entre Brasil e Índia chegou a US$ 9,2 bilhões e a meta é que chegue a US$ 15 bilhões até 2015, algo que seria viável, segundo o governo, devido ao dinamismo das duas economias.

O Brasil é o principal parceiro comercial da Índia na América Latina e, nos últimos cinco anos, o intercâmbio comercial entre os países cresceu 200%.

Segundo a presidente Dilma, essa relação reforça uma "tendência de profunda transformação" no fluxo de comércio e nos investimentos internacionais, em relação à importância das economias dos países emergentes.

"Hoje, fica evidente que as relações entre nós não são apenas vantajosas e produtivas, mas representam importante fonte de dinamismo para a economia internacional."
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 30 Mar 2012 10:50 AM PDT

Luis Nassif, Luis Nassif Online

“Está na hora de se começar a investigar mais a fundo a associação da Veja com o crime organizado. Não é mais possível que as instituições neste país - Judiciário, Ministério Público - ignorem os fatos que ocorreram.

Está comprovado que a revista tinha parceria com Carlinhos Cachoeira e Demóstenes. É quase impossível que ignorasse o relacionamento entre ambos - Demóstenes e Cachoeira.

No entanto, valeu-se dos serviços de ambos para interferir em inquéritos policiais (Satiagraha), para consolidar quadrilhas nos Correios, para criar matérias falsas (grampo sem áudio).
Até que a Polícia Federal começasse a vazar peças do inquérito, incriminando Demóstenes, a posição da revista foi de defesa intransigente do senador (clique aqui), através dos mesmos blogueiros das quais se valeu para tentar derrubar a Satiagraha.

Aproveitando a falta de coragem do Judiciário, arvorou-se em criadora de reputações, em pauteira do que deve ser denunciado, em algoz dos seus inimigos, valendo-se dos métodos criminosos de aliados como Cachoeira. Paira acima do bem e do mal, um acinte às instituições democráticas do país, que curvam-se ao seu poder.”
Artigo Completo, ::Aqui::


Posted: 30 Mar 2012 10:43 AM PDT

Redação, Carta Maior

“O site do jornal O Globo dava ontem, em manchete garrafal, a quebra do  sigilo bancário do demo, Demóstenes Torres, até há bem pouco tempo um parceiro, digamos assim, do jornalismo imparcial chancelado pelos Marinhos. A revista Veja, cuja afinidade de propósitos com Demóstenes, segundo consta, poderá ser aferida pela intensa troca de telefonemas entre a alta direção de sua sucursal, em Brasília, e o senador double de bicheiro,trata agora o amigo como uma carga incômoda, a ser jogada ao mar o mais rápido possível.O Estadão, para arrematar, refere-se a 1964 --que ajudou a eclodir-- como 'o golpe' de 64. Sintomático, a renovação do vocabulário se dá justamente na cobertura do cerco promovido por estudantes a integrantes da ditadura que comemoravam o golpe no Clube Militar, no Rio. Tempos interessantes.

Se vivo, possivelmente o coronel Tamarindo, protagonista da Guerra dos Canudos (1896-1897), repetiria aqui a frase famosa: 'É tempo de murici (*uma fruta da caatinga), que cada um cuide de si'.  O bordão símbolo da debandada teria sido proferido pelo coronel Pedro Nunes Tamarindo ao constatar a desarticulação total das tropas no ataque a Canudos,  após a morte do comandante Moreira César. Decorridos 48 anos do golpe militar de 1964, o conservadorismo brasileiro vive, sem dúvida, uma deriva decorrente da implosão da ordem neoliberal no plano externo e de três derrotas presidenciais sucessivas para o PT.

Não tem projeto, não tem lideranças --Demóstenes pretendia ser o candidato em 2014; Serra é contestado entre seus próprios pares, como se viu na prévia do PSDB, em SP. É tempo de murici. De volta, e afiado, Lula sintetizou bem esse período, personificando-0 no declínio do eterno candidato tucano: 'Serra é o político de ontem; com idéias de anteontem'. Mas as safras passam. Cabe ao governo, e às forças progressistas, ocupar o vazio com respostas que não sejam apenas a mitigação daquilo que os derrotados fariam, se não estivessem cada qual cuidando de si.”  



Posted: 30 Mar 2012 10:35 AM PDT



Posted: 30 Mar 2012 10:31 AM PDT

Daniel Lima, Agência Brasil

‘O setor público consolidado (governo federal, estados, municípios e empresas estatais) registrou superávit primário, que são receitas menos despesas, excluídos os juros da dívida, de R$ 9,514 bilhões, em fevereiro deste ano. É o maior resultado para meses de fevereiro desde o início da série histórica do Banco Central (BC), em 2001.

Mesmo com o resultado, o esforço fiscal do setor público não foi suficiente para cobrir os gastos com os juros nominais (encargos financeiros) que incidem sobre a dívida. Esses juros chegaram a R$ 18,269 bilhões. Com isso, houve déficit nominal, que são receitas menos despesas, incluídos os gastos com juros, de R$ 8,755 bilhões.

Em fevereiro, o Governo Central (Banco Central, Tesouro Nacional e Previdência) registrou superávit primário de R$ 5,317 bilhões. Os governos regionais (estaduais e municipais) fecharam o mês com superávit primário de R$ 5,070 bilhões. As empresas estatais, excluídos os grupos Petrobras e Eletrobras, registraram déficit de R$ 872 milhões.

Em 12 meses encerrados em fevereiro, o superávit primário do setor público chega a R$ 138,579 bilhões, o que representa 3,33% de tudo o que o país produz - Produto Interno Bruto (PIB).”


Posted: 30 Mar 2012 10:20 AM PDT

Marina Novaes, Portal Terra

“Após a notícia de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está livre do tumor na laringe, anunciada na última quarta-feira, o PT começa a planejar como será a participação dele em campanhas do partido em outros Estados. De acordo com o presidente nacional do PT, Rui Falcão, a expectativa é que Lula possa voltar a viajar pelo Brasil a partir do fim de abril, para ajudar na articulação de candidatos a prefeito petistas em cidades consideradas "estratégicas".

Apesar da boa notícia para os candidatos petistas, a participação de Lula nas campanhas ainda será "dosada", já que o ex-presidente, embora esteja livre do câncer, ainda se recupera do tratamento que o fez perder 18 kg desde janeiro.

"Ele vai dosar a forma como vai participar das campanhas, (...) mas pelo que ele falou, provavelmente em meados de abril, mais para o final de abril, é que ele vai ter condição de participar das campanhas, no sentido de realizar viagens", disse Falcão.”
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 30 Mar 2012 08:16 AM PDT

Menalton Braff, Revista Bula

"Nunca entendi a razão por que se juntam pessoas de grupos os mais heterogêneos para ouvir falar de assuntos com alguma especificidade, ou seja, de conhecimento não corriqueiro. Naquela noite fui incumbido de discorrer sobre linguagem literária, assunto que se leva alguns anos estudando para se ter pálida ideia, mas que muitos promotores de eventos culturais supõem passível de ser destrinchado em uma hora, uma hora e meia. E pra qualquer plateia. 

Isso tem ocorrido na minha vida e com bastante frequência. Como o público sai depois de uma palestra dessas eu não sei, quanto a mim, saio suando, com vontade de morrer, mas sem coragem para o ato final. 

Uma dessas ocasiões me deixou marcado. Bastante gente na plateia, para glória e honra dos promotores e angústia do palestrante, que, com cara de pateta, olhava de um lado para o outro tentando descobrir qual o padrão de linguagem a ser empregado. Apresentações e agradecimentos, lá estava eu de microfone na mão ainda enrolando com alguma graça para conquistar o público, até que não deu mais para segurar e o assunto foi enfrentado. A certa altura, ocorreu a lembrança de que alguns exemplos sempre ajudam, pois dão concretude a conceitos por vezes não familiares. Por isso, chamei a atenção da plateia para o que faria: dois enunciados diferentes. Então parodiei um poema: 

“Uma mulher declara que nem se deu conta da passagem do tempo, e está perplexa por não se reconhecer por causa das mudanças”. 

Em seguida li, da Cecília Meireles, Retrato, que muitas vezes carrego comigo: 

“Eu não tinha este rosto de hoje,
assim calmo, assim triste, assim magro,
nem estes olhos tão vazios,
nem o lábio amargo.

Eu não tinha estas mãos sem força,
tão paradas e frias e mortas;
eu não tinha este coração
que nem se mostra.

Eu não dei por esta mudança,
tão simples, tão certa, tão fácil:
— Em que espelho ficou perdida
a minha face?” 

Em seguida, a pergunta que me pareceu óbvia: 

— Qual dos dois textos vocês preferem?”
Artigo Completo, ::Aqui::


Posted: 30 Mar 2012 08:06 AM PDT

Fábio Fabrini, Agência Estado

“O Ministério Público do Rio Grande do Norte enviou à Procuradoria-Geral da República pedido para que investigue o presidente nacional do DEM, senador José Agripino (RN), apontado como beneficiário de pagamentos feitos pela máfia da inspeção veicular em seu Estado. Em depoimento, o empresário José Gilmar de Carvalho Lopes, preso na Operação Sinal Fechado, relatou o suposto repasse de R$ 1 milhão ao parlamentar e a Carlos Augusto Rosado, marido da governadora do RN, Rosalba Ciarlini (DEM).

Segundo a Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, Lopes é sócio oculto do advogado George Olímpio, apontado como mentor das fraudes na inspeção veicular e outros projetos do Detran-RN. Nas declarações, de 24 de novembro, mesmo dia das prisões de envolvidos no esquema, ele disse que Olímpio lhe relatou ter feito pagamentos a Agripino e Rosado.

O valor teria sido pago em dinheiro, parcelado, na campanha de 2010, e a negociação teria ocorrido no sótão do apartamento do senador em Natal. Agripino nega ter recebido propina, mas diz que Olímpio esteve no imóvel, interessado em implementar o contrato de inspeção veicular no governo de Rosalba.”
Matéria Completa, ::Aqui::


Posted: 30 Mar 2012 07:52 AM PDT

“João Grandino Rodas teria usado boletins oficiais da Universidade para atacar a atual gestão da Faculdade de Direito, da qual já foi diretor


O reitor da Universidade de São Paulo, João Grandino Rodas, é alvo de uma investigação do Ministério Público. Ele é acusado de criticar a atual gestão da Faculdade de Direito, da qual foi diretor de 2006 a 2009, por meio de boletins institucionais da Universidade, para os quais seria necessário o uso de recursos públicos.

Rodas acusa o atual diretor da tradicional São Francisco, Antônio Magalhães Gomes Filho, de não dar andamento ou mesmo descontinuar projetos da gestão anterior – a sua – num boletim divulgado em setembro. Outro ataque veio dois dias depois, quando a reitoria criticou doações milionárias para reformas de salas de aula.

Em entrevista ao Estadão.edu, em outubro do ano passado, o reitor se referiu ao primeiro boletim como “um direito de defesa” e justificou que não eram gastos especiais. O inquérito foi instaurado a pedido da Congregação da Faculdade de Direito – instância máxima da unidade da USP – e o ofício entregue em mãos pelo atual diretor ao procurador-geral de Justiça. (com informações do jornal O Estado de S.Paulo)”
Foto: Rodrigo Paiva/Folhapress


Posted: 30 Mar 2012 07:44 AM PDT


“Em novas gravações da Polícia Federal, o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) aparece usando o cargo de parlamentar para beneficiar Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso por chefiar a exploração ilegal de caça-níqueis e outros jogos em Goiás. Nas escutas, Demóstenes acerta com Cachoeira um suposto lobby pela legalização dos jogos de azar no Congresso Nacional.

As conversas foram gravadas pela Polícia Federal em 2009, durante a Operação Vegas. Em um dos diálogos, os dois discutem mudanças no projeto que tramitava no Senado sobre a legalização dos jogos de azar no Brasil. Cachoeira manda Demóstenes fazer um levantamento sobre o projeto.

Em outra conversa, o senador pede que Cachoeira pague o frete de um avião de táxi-aéreo, no valor de R$ 3 mil, segundo o jornal O Globo. No mesmo diálogo, o contraventor pede que Demóstenes interceda num processo judicial referente a um delegado e três agentes da Polícia Civil de Anápolis acusados de tortura e extorsão.

Em outra escuta, os dois também conversaram sobre um milionário "negócio" em andamento na Infraero. Na ocasião, Demóstenes teria usado a autoridade de relator da CPI do Apagão Aéreo para levantar informações e sondar contratos de informática na estatal.”


Posted: 30 Mar 2012 07:13 AM PDT

Renata Giraldi, Agência Brasil

“Em busca da ampliação das relações comerciais e econômicas, os governos do Brasil e da Índia adotaram uma parceria estratégica que engloba saúde, educação, ciência e tecnologia, defesa, agricultura, programas sociais e ambientais. No penúltimo dia de visita a Nova Delhi, na Índia, a presidenta Dilma Rousseff disse hoje (30) que o objetivo é aumentar o valor negociado de US$ 9,12 bilhões, em 2011, para US$ 15 bilhões, até 2015.

A presidenta disse que Brasil e Índia passam por uma nova fase de desenvolvimento. “[Temos de lutar para] criar um corredor [de desenvolvimento] de tal forma que possamos nos orgulhar de ter iniciado uma nova era”, disse Dilma, após reunião com o primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh.

Em seguida, Dilma acrescentou que o Brasil considera a Índia um parceiro indispensável e essencial para o futuro. “Os países emergentes são os grandes responsáveis pelo crescimento da economia mundial”, disse. “Temos muito o que dialogar nas áreas de políticas sociais e científicas.”

A presidenta elogiou as pesquisas nas áreas química e de medicamentos na Índia. Ela lembrou que no Brasil o esforço é para melhorar a qualidade do atendimento da saúde pública, o que depende também da distribuição de medicamentos. Segundo Dilma, a parceria se estende ainda à venda de aeronaves com radar do Brasil para a Índia.”
Matéria Completa, ::Aqui::