terça-feira, 30 de setembro de 2014

30/9 - BOA NOITE com Minha Bossa Nova

Minha Bossa Nova


Posted: 30 Sep 2014 07:17 AM PDT
Cheguei Atrasado na Bossa
(Autor: Atapoã Feliz)
Caricaturas


30/9 - Pragmatismo Político DE 29/9

Pragmatismo Político


Posted: 29 Sep 2014 02:12 PM PDT
dilma marina aécio pesquisa cnt
Dilma vence tanto no primeiro quanto no segundo turno, diz CNT/MDA (Edição: Pragmatismo Político)
Dilma Rousseff (PT) amplia a vantagem sobre Marina Silva (PSB), aponta a nova pesquisa CNT/MDA para a eleição presidencial. A atual presidente tem 40,4% das intenções de voto, enquanto a candidata do PSB aparece com 25,2%. Aécio Neves (PSDB) permanece na terceira posição, com 19,8% dos votos. Em comparação com a última pesquisa, publicada na semana passada, Dilma subiu 4,4 pontos, Marina caiu 2,2 pontos e Aécio cresceu 2,2 pontos.
Luciana Genro (PSol) soma 1,2%, enquanto Pastor Everaldo (PSC) tem 0,6%. Os outros candidatos aparecem com 0,5%. Brancos e nulos somam 5,9% e 6,4% não sabem ou não responderam.
80,8% dos entrevistados afirmam que não mudam o voto de jeito nenhum.

SEGUNDO TURNO

Na simulação para o segundo turno, Dilma aparece com 47,7% das intenções de voto enquanto Marina tem 38,7%, uma vantagem de 9 pontos para a atual presidente. Na pesquisa divulgada semana passada, as duas apareciam tecnicamente empatadas, com 42% e 41%, respectivamente, das intenções de voto. Em cenário simulado entre Dilma Rousseff e Aécio Neves, a petista tem a preferência de 49,1% dos eleitores, enquanto o tucano aparece com 36,8%, diferença de 13 pontos.

ESPONTÂNEA

Na pesquisa espontânea, aquela em que os nomes dos candidatos não são apresentados aos entrevistados, Dilma Rousseff tem 36,7%, Marina Silva 22,5% e Aécio Neves 17,5%. O método espontâneo é aquele que retrata com mais proximidade a fidelidade do eleitor.

INDECISOS

Segundo a pesquisa, Dilma e Marina lideram a lista dos candidatos com mais probabilidade de receberem votos dos indecisos. Dos entrevistados que ainda não sabem em quem votar, 43,8% dizem que poderão votar na petista; 40,6% citam Marina Silva; 28,9% poderão votar em Aécio. A resposta era de múltipla escolha.

AVALIAÇÃO

Entre os entrevistados, 41% consideram o governo da presidente Dilma ótimo ou bom. Na pesquisa anterior, o índice estava em 37,4%. A avaliação negativa passou de 25,1%, do levantamento anterior, para 23,5%.
Também com alta, a aprovação do desempenho pessoal de Dilma Rousseff chegou a 55,6%. O total de eleitores que a desaprovam caiu de 43,8% para 40,1%.
A pesquisa foi realizada entre os dias 27 e 28 de setembro de 2014 e foram ouvidos 2002 eleitores. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.
O post Nova pesquisa CNT/MDA: Dilma abre 15 pontos sobre Marina apareceu primeiro em Pragmatismo Político.
Posted: 29 Sep 2014 11:33 AM PDT
sequestro brasília sequestrador
Sequestrador de Brasília foi candidato a vereador no Tocantins pela coligação PP, PTB, PSDB (Edição: Pragmatismo Politico)
Os produtos jornalísticos da Rede Globo parecem reciclar o expediente adotado no sequestro de Abílio Diniz, que mudou os rumos da eleição de 1989, para noticiar uma “ação terrorista” que acontece nesta segunda (29), em Brasília.
O portal G1 e a Globo News publicaram que um sequestro ocorre por motivação política no mesmo hotel que pretendia contratar o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu (PT), condenado na Ação Penal 470.
VEJA TAMBÉM: Especial: 25 anos das eleições de 1989
De acordo com a polícia, por volta das 8h da manhã um homem com cerca de 30 anos deu entrada no hotel Saint Peter. Ele foi de quarto em quarto apenas no 13º andar e pediu que os hóspedes esvaziassem o edifício. Segundo fontes ouvidas no local, não se trata de roubo ou sequestro com a finalidade de pedir algo em troca, mas sim de “terrorismo”.
No início desta tarde, cerca de 300 hóspedes já haviam deixado o local. O sequestrador faz de vítima um dos mensageiros do hotel, que aparece frequentemente na sacada de um quarto, portando um cinto que supostamente contém explosivos. A polícia ainda não confirmou essa informação, mas estima que se de fato a carga for real, ela tem potencial para danificar a estrutura do prédio.
A polícia identificou que o sequestrador tentou uma vaga de vereador no Tocantins pela coligação PP, PTB e PSDB, mas não foi eleito. Segundo informações da Globo News, a corporação avalia que o infrator apresenta desequilíbrio emocional e diz que sua motivação é de ordem política. Em frases desconexas, ele pede a extradição de Cesare Battisti, a saída de Dilma Rousseff da Presidência e a ampliação da Lei da Ficha Limpa.
A emissora também associou o episódio ao hotel que contrataria Dirceu – algo equivalente a associar um acidente na linha do Metrô paulista ao caso Alstom.

Caso Diniz

Faltando cinco dias para o primeiro turno das eleições, a grande mídia parece insistir em uma bala de prata contra a vantagem da candidata Dilma Rousseff (PT) nas pesquisas de opinião. A lembrança de Dirceu no sequestro de hoje lembra a cobertura de grandes jornais sobre o sequestro do empresário Abílio Diniz, executivo do grupo Pão de Açúcar, em 1989.
Naquele ano, o caso foi revelado às vésperas do segundo turno das eleições. Fernando Collor de Mello (PRN) e Luís Inácio Lula da Silva (PT) disputavam a Presidência. À época, a grande mídia levantou suspeitas sobre o envolvimento do PT no sequestro de Diniz. Após a vitória de Collor, as acusações foram desmentidas. A investigação apontou que os envolvidos na ação foram obrigados a vestir uma camisa da campanha de Lula.
Cintia Alves, GGN
Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.
O post Grande mídia é culpada pelo sequestro em Brasília apareceu primeiro em Pragmatismo Político.
Posted: 29 Sep 2014 11:02 AM PDT
levy fidelix homofobia debate
O candidato Levy Fidelix
As declarações homofóbicas do candidato à presidência da República, Levy Fidélix (PRTB), no debate de ontem (28), realizado pela TV Record, causaram revolta na comunidade LGBT e em defensores dos Direitos Humanos em geral.
Ao ser questionado pela candidata Luciana Genro (PSOL) a respeito da criminalização da homo-transfobia e casamento igualitário, Levy Fidélix iniciou dizendo que se tratava de “um assunto pesado” e que era preciso “reagir” contra a população LGBT. “O Brasil tem 200 milhões de habitantes, daqui a pouquinho vai reduzir para cem. Vai para a Paulista, anda lá e vê, é feio o negócio, né? Então, gente, vamos ter coragem. Nós somos maioria, vamos enfrentar essa minoria. Vamos enfrentá-los. Não tenha medo de dizer que ‘sou pai, uma mãe, vovô’, e o mais importante é que esses que têm esses problemas realmente sejam atendidos no plano psicológico e afetivo, mas bem longe da gente, bem longe mesmo porque aqui não dá”, declarou.

Debates

A insistente presença de Levy em todos os debates deste ano entre os candidatos à presidência da República se deve à eleição de um único deputado federal pelo partido em 2010 (o carioca Áureo, hoje no Solidariedade). Com esta vitória, as emissoras foram obrigadas a chamá-lo para todos estes encontros.

Representatividade nula

Levy não representa ninguém, o que é claro na sua incapacidade de conseguir qualquer votação expressiva após dez eleições a cargos como prefeito, governador e presidente. Apesar da falta de respaldo, o candidato é beneficiado pelo dinheiro do fundo partidário. Desde 1996, foram 6,1 milhões de reais entregues ao PRTB de Levy. Além disso, a sigla também é ajudada com espaço gratuito na televisão, comprado pelo governo, e com o rateio de multas da Justiça Eleitoral.

Acusações

O candidato também sofre diversas suspeitas. Aliados de Levy já afirmaram que ele cobraria 400 mil reais de quem quer se desfiliar do partido e de manipular as eleições do partido, em que sempre foi o presidente. Ele também foi acusado de envolvimento com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, que citava seu nome em escutas feitas pela Polícia Federal. Segundo as investigações, o PRTB era um dos alvos de Cachoeira, que buscava “comprar” um partido. Levy nega todas as acusações e se mostrou indignado ao ser questionado sobre essas denúncias no debate organizado pelo SBT e pela Folha de S.Paulo.

Protesto

Logo depois da resposta homofóbica de Levy Fidelix, o assunto viralizou na rede. Várias manifestações foram organizadas e, indignados, ativistas questionavam a possibilidade de o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) punir o candidato por discurso de ódio e incitação à violência. À reportagem da revista Fórum, a assessoria de comunicação do TSE declarou que, para o Tribunal agir, é necessário que ele seja acionado externamente.
De acordo com a ativista do Coletivo de Feministas Lésbicas (CFL), Irina Karla, mais de 200 pessoas já estão mobilizadas para encaminhar uma ação judicial coletiva e acionar o TSE. Como o debate foi realizado no estado de São Paulo, os ativistas também pretendem enquadrar Levy Fidelix na lei estadual 10.948/02, que pune atos homofóbico; entre eles, discursos de ódio. Um beijaço também está marcado para o próximo domingo (5) na Avenida Paulista.

Criminalização

Se Levy Fidelix fosse julgado pela criminalização da homofobia, ele teria saído preso do debate da TV Record.
com informações de CartaCapital, Agência Brasil e Revista Fórum
Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.
O post Levy Fidelix deveria sair preso do debate apareceu primeiro em Pragmatismo Político.
Posted: 29 Sep 2014 08:35 AM PDT
luciana genro marina silva debate
Luciana Genro questiona ‘nova política’ de Marina e diz que candidata sempre muda de posição quando é pressionada (Pragmatismo Político)
A uma semana do primeiro turno das eleições, os três principais candidatos ao Palácio do Planalto – Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB) – buscaram e conseguiram estabelecer um confronto mais direto no quarto e penúltimo debate na campanha deste ano, realizado pela TV Record na noite deste domingo (28), em São Paulo (SP). Mas não só de Dilma, Marina e Aécio vive as eleições de 2014.
Luciana Genro (Psol) e Eduardo Jorge (PV), a despeito do pouco tempo de televisão e rádio que dispõem, conseguiram utilizar os debates presidenciais de forma proveitosa, subvertendo a lógica dos discursos pouco ousados e, consequentemente, muitas vezes enferrujados dos candidatos favoritos.
VEJA TAMBÉM: O desabafo homofóbico de Levy Fidelix e a reação de Eduardo Jorge
Em um determinado momento em que Luciana Genro e Marina Silva se enfrentaram no debate de ontem, a candidata do PSOL conseguiu expor, em poucas palavras, as contradições da “nova política” tão aclamada por Marina. Luciana afirmou ainda que Marina muda de posição sempre que é pressionada.
“Tu tens dito que defendes uma nova política, mas teus economistas são ligados ao PSDB… e tua campanha é financiada por bancos e empreiteiras. Como é que tu vais fazer uma nova política com esses aliados?”, questionou Luciana.
Marina levou um minuto e meio para dizer que Luciana não entendia nada de nova política, que “está sendo feita pela sociedade brasileira”. Luciana rebateu: “A nova política da Marina é assim: ela recebe a pressão do agronegócio, cede e diz que nunca foi contra os transgênicos. À pressão dos banqueiros, ela cede dizendo que vai dar autonomia pro Banco Central. À pressão dos reacionários do Congresso, [...] ela cede e joga na lata do lixo o seu programa de defesa dos direitos LGBT. Essa é a nova política da Marina. Mais velha do que a história.”
Nas cordas, Marina fez para a [candidata] nanica Luciana a mesma pose de vítima que faz para a [candidata] peso-pesado Dilma: “A nova política que eu pratico é exatamente para evitar esse tipo de atitude, que espalha boatos, que espalha calúnias, sem nenhum compromisso com a verdade. Isso é velha política.”
O debate da Rede Record foi, até agora, o de maior repercussão da campanha presidencial de 2014. Na próxima quinta-feira (2) os presidenciáveis se enfrentarão pela última vez neste primeiro turno no debate da Rede Globo.
VEJA TAMBÉM: Danilo Gentili deveria assistir a entrevista de Luciana Genro para Rafinha Bastos
O post Luciana Genro coloca Marina em saia justa apareceu primeiro em Pragmatismo Político.
Posted: 29 Sep 2014 07:35 AM PDT
levy fidelix homofobia gay
Eduardo Jorge e a cartunista Laerte repudiaram o desabafo homofóbico de Levy Fidelix (Edição: Pragmatismo Político)
“Dois iguais não fazem filhos. Me desculpe, mas o aparelho excretor não reproduz. Tem candidato que não assume isso com medo de perder voto. Prefiro não ter esses votos, mas ser um pai, avô que instrua seu neto. Não vou estimular a união homoafetiva.”
A declaração, dita neste domingo por Levy Fidelix (PRTB) durante debate da TV Record com candidatos à presidência, alcançou o topo dos assuntos mais comentados pelos brasileiros no Twitter. Em duas horas, a hashtag #LevyVocêÉNojento foi compartilhada mais de 7 mil vezes.
VEJA TAMBÉM: A espirituosidade de Eduardo Jorge no Twitter
O comentário foi em resposta à candidata Luciana Genro (PSOL), que questionou o criador do aerotrem sobre famílias formadas por gays, lésbicas, bissexuais ou transexuais. (vídeo abaixo) Visivelmente chocada com a declaração, a socialista afirmou defender “todas as famílias, não importa se são dois homens e duas mulheres”.
Fedelix ainda tinha direto a tréplica: “O Brasil tem 200 milhões de habitantes. Já pensou se a moda pega? Daqui a pouco reduz para 100 milhões. Vai para a avenida Paulista e anda um pouquinho. É feio o negócio. Pessoas que têm esses problemas precisam ser atendidos por ajuda psicológica. E bem longe da gente, porque aqui não dá.”

Silas Malafaia

O principal endosso veio do pastor Silas Malafaia, que fez elogios à fala de Fidelix e ironizou: “Estão reclamando? Verdade absoluta”. A opinião do líder evangélico foi compartilhada mais de 230 vezes.
O pastor também afirmou que iria “dormir rindo” do comentário do candidato e desejou “vida longa aos inimigos para assistirem minhas vitórias”.
As demonstrações de desaprovação, entretanto, foram maioria nas redes sociais.

Laerte

A cartunista Laerte, defensora das pautas de travestis e transexuais, chegou a desenhar uma charge, na qual a cabeça do candidato do PRTB é substituída por um vaso sanitário.

Eduardo Jorge

Já Eduardo Jorge, que não comentou o posicionamento do adversário durante o debate, preferiu fazê-lo pelo Twitter: “Ainda chocado com as declarações do Levy. Hoje vocês viram o quanto é necessária uma legislação que criminalize a homo/lesbo/transfobia, equiparando-as aos crimes de racismo, né?”. A mensagem foi compartilhada 3.600 vezes.
Vídeo:

BBC
O post O desabafo homofóbico de Levy Fidelix e a reação de Eduardo Jorge apareceu primeiro em Pragmatismo Político.

30/9 - RodapéNews - Edição de 29 de setembro de 2014

De: Paulo Dantas


RodapéNews - Edição de 29 de setembro de 2014 - Clique aqui ou veja nos links abaixo

ELEIÇÕES 2014

ANALISTAS EXPÕEM FRAGILIDADES DA CANDIDATURA MARINA SILVA E DO PSB
Deutsche Welle
Analistas atribuem queda de Marina a ataques e fim da comoção nacional
Depois de um crescimento vertiginoso em agosto, mês em que a candidata entrou na disputa pela Presidência da República, pesquisas recentes indicam tendência de queda.
Para os especialistas, o desgaste político da campanha, somado ao esgotamento da comoção nacional gerada pela trágica morte de Eduardo Campos, explicam a piora no desempenho da ambientalista nas pesquisas. Com a tragédia, Marina havia sido alçada ao centro da corrida eleitoral.
De acordo com os especialistas, Marina expôs fragilidades de sua candidatura durante a campanha. Inconsistências em seu programa de governo e recuos públicos teriam criado incertezas em relação a ela

DEBATE NA TV RECORD
Viomundo - 29/09/2014
Dilma aciona tratoraço contra Marina e Aécio para tentar vitória no primeiro turno; fala de Fidelix causa indignação - por Luiz Carlos Azenha
Sorteada para fazer a primeira pergunta no debate promovido pela TV Record, no domingo à noite, a candidata Dilma Rousseff acionou o tratoraço contra a adversária Marina Silva. No preâmbulo da pergunta, disse que a candidata do PSB “mudou de partido” e de posição e perguntou por que Marina, quando senadora, “votou quatro vezes contra a criação da CPMF”, o imposto do cheque já extinto cujos recursos eram voltados exclusivamente para o orçamento da Saúde.
Marina não respondeu diretamente à pergunta

BBC
Penúltimo debate tem confrontos, mas presidenciáveis só repetem discursos
A uma semana das eleições, os principais candidatos na disputa pelo Planalto voltaram a se encontrar em debate com fortes ataques pessoais, mas poucas novidades no discurso e nas propostas apresentadas.
Líder nas pesquisas de intenção de voto, Dilma Rousseff aproveitou o debate para reforçar suas principais propostas e atacar sua maior adversária no momento, Marina Silva.
Em sua primeira pergunta, Dilma voltou a questionar a suposta "inconsistência" de Marina. "A senhora mudou de partido quatro vezes em três anos. Mudou de posição em questões como a CLT e a homofobia. Qual foi sua posição em relação a CPMF?", perguntou, ao que Marina respondeu: "Mudei de partido para não mudar de ideais e de princípios."

DM
Dilma: "Fui o centro do debate. Era justo que tivesse direito de responder às críticas"

LEMBRANDO: MARINA MENTE SOBRE CPMF E NÃO FICA VERMELHA
O Globo
Ao contrário do que diz, Marina votou contra a CPMF
Registros do site do Senado mostram que, então no PT, candidata ficou contra o tributo em 1995 e em 1999
BRASÍLIA - Ao contrário do que afirma em declarações públicas, a candidata Marina Silva (PSB) não votou a favor da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) durante o governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Registros do site do Senado mostram que Marina, então no PT, ficou contra o tributo em 1995 e em 1999. Em 2002 não registrou seu voto. O apoio à CPMF tem sido utilizado por ela como discurso de que não fez “oposição por oposição” no Congresso Nacional e que esperava a mesma postura dos parlamentares, caso seja eleita

PESQUISAS ELEITORAIS
CA
Para DataCaf, Dilma pode liquidar fatura no 1º turno

CONSEQUÊNCIAS DA DERROTA DE AÉCIO
Mosaico Político
Derrota de Aécio e vitórias de Alckmin e Serra reacenderão disputa no PSDB
Uma possível derrota do tucano Aécio devolverá espaço para os dois líderes do PSDB paulista, Geraldo Alckmin e José Serra

COMPORTAMENTO

OS PARTIDOS SE AFASTAM DOS CIDADÃOS OU OS CIDADÃOS SE AFASTAM DA POLÍTICA?
Senado Federal
Estudiosos buscam explicações para afastamento de cidadãos da política
Baixa participação política é um fenômeno mundial, "mas ainda não há explicação para isso", afirma Acir Almeida, do Ipea. Manoel Leonardo Santos, da UFMG, diz que partidos se afastaram dos cidadãos

ENTIDADES DENUNCIAM AS PÉSSIMAS CONDIÇÕES DE VIDA QUE OS MARANHENSES ESTÃO SUBMETIDOS
Escrevinhador
Maranhão faz apelo por mudanças e democratização do Estado
Entidades da sociedade civil,  sindicatos, movimentos populares de camponeses, indígenas, quilombolas, pescadores, juventude e associações comunitárias do Maranhão lançaram um apelo ao povo brasileiro, que denuncia as péssimas condições de vida que os maranhenses estão submetidos

OUTRAS NOTÍCIAS DE SP

EX-SECRETÁRIO DE SEGURANÇA DE SP CHAMA SUCESSOR DE "LIXO"
Band
Ex-secretário de segurança ofende sucessor
Antonio Ferreira Pinto insultou Fernando Grella durante cerimônia na Rota

SABESP SEGUE NEGANDO FALTA DE ÁGUA, QUE ATINGE AGORA REGIÃO DOS JARDINS NA CIDADE DE SÃO PAULO
Estadão - 29/09/2014
Falta de água durante a noite já atinge ruas dos Jardins; Sabesp nega
Em Ruas como a Haddock Lobo e a Alameda Tietê, condomínios, bares e restaurantes têm registrado interrupção do fornecimento entre 22 horas e 6 horas; problema não afeta moradores e clientes, porque os imóveis têm reservatório próprio

VIDAS DE PACIENTES MUDAM PARA PIOR APÓS MUTIRÃO DA CATARATA NA CIDADE DE BARUERI (SP)
Fantástico 
Pacientes perdem a visão após cirurgia de catarata em Barueri
Moradores da cidade conseguiam ler, escrever, dirigir e trabalhar. Mas, depois do mutirão da cirurgia de catarata, a vida dessas pessoas mudou para pior

Bom Dia, SP - 29/09/2014
12 pessoas correm risco de ficarem cegas após mutirão de catarata em Barueri

FIM DE SEMANA VIOLENTO EM SP
Bom Dia, SP
Carro, ônibus e carreta são incendiados na Zona Leste de SP

LADRÕES AGEM IMPUNEMENTE EM SP
Bom Dia, SP
Ladrões roubam portas e placas de alumínio em São Paulo

INTERNACIONAL

CRISE NA EUROPA PROSSEGUE 
Deutsche Welle
A crise da dívida atingiu em cheio cinco países europeus: Grécia, Itália, Irlanda, Portugal e Espanha
Repórteres da DW passaram uma semana em cada país para descobrir como as pessoas estão lidando, por exemplo, com o desemprego e a falta de dinheiro.
Os problemas gerados pela crise na zona do euro colocam em risco muitos planos de vida, principalmente de jovens que estão iniciando a carreira profissional. Nossos repórteres descobriram soluções criativas para novas perspectivas de vida. Aqui suas impressões

30/9 - Os Amigos do Presidente Lula

Os Amigos do Presidente Lula


Posted: 29 Sep 2014 05:02 PM PDT

Mark Ruffalo perguntou se Marina  é a favor do casamento gay. Marina, malandramente respondeu que sim, mas da união civil.MENTIU DE NOVO, para agradar o ator
O apoio do ator americano Mark Ruffalo, que fez o papel de Incrível Hulk, a Marina Silva, candidata do PSB à Presidência, não demorou para ser retirado. Informado que a política era contrária ao casamento gay, Ruffalo publicou um texto em seu Tumblr nesta segunda-feira no qual afirmou que esta postura de Marina "o colocaria em direto conflito com ela".

"Neste momento, seria bom saber definitivamente onde a candidata Silva está nesta questão sem termos incertos. Está meio nebuloso e pouco claro no momento. Enquanto isso, baseado no que eu pude entender por alguns posts aqui e pelo que está disponível na internet, eu estou retirando meu apoio", declarou Ruffalo, que prosseguiu pedindo que o vídeo em que ele exalta Marina Silva não seja utilizado até a candidata confirmar ser favorável ao casamento gay e deixar claro seu posicionamento.

"Eu peço desculpas à campanha de Silva por não ter um controle melhor das suas políticas e criando essa inconveniência. Eu fiquei desapontado em ver seu apoio ao casamento gay ser largado pelo seu partido no dia seguinte ao discurso dela. Eu peço que honrem meus pedidos em boa fé", concluiu o ator.

Pelo Twitter, a candidata mandou uma mensagem direta ao ator e declarou que é favorável à união civil homoafetiva. "Mark Ruffalo, você precisa saber que esta eleição está inundada de mentiras e esta é só mais uma mentira sobre Marina Silva", escreveu a presidenciável, em inglês, na rede social.

Com um link o plano de governo de Marina Silva, Ruffalo pediu uma versão em inglês do material e posteriormente pediu para que a candidata lhe enviasse uma mensagem direta em particular. Impaciente, emendou uma pergunta, não respondida até a publicação desta matéria: "Marina Silva, você é a favor do casamento igualitário?"
Posted: 29 Sep 2014 06:44 PM PDT

Embora oposição ainda mantenha alarmismo em relação aos preços, assunto está em baixa nas pautas dos jornais e dos debates

A inflação está em baixa, inclusive, na pauta eleitoral da oposição partidária e midiática. Parece não sensibilizar mais a maioria do eleitorado que a enxerga estável e vê seu poder aquisitivo aumentado nos últimos anos, com ganhos reais nos salários.Mesmo assim, candidatos da oposição ainda citam a inflação como alvo de críticas. No debate... Leia mais aqui
Posted: 29 Sep 2014 04:56 PM PDT

Em decisão individual, o ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Herman Benjamin deferiu liminar para suspender propaganda eleitoral da Coligação Unidos pelo Brasil, da candidata Marina Silva, por conter ofensa de caráter pessoal à candidata Dilma Rousseff e à Coligação Com a Força do Povo, capitaneada pelo Partido dos Trabalhadores (PT).

Na referida propaganda, a coligação da candidata Marina Silva alega que eventual corrupção no âmbito da Petrobras tem financiado a base aliada dos partidos que apoiam a Coligação com a Força do Povo.  Afirma, ainda, que a candidata Dilma Rousseff foi chamada a responder perante o Tribunal de Contas da União pelo prejuízo causado pela negociação envolvendo a refinaria de Pasadena, uma vez que, na época, ela fazia parte do Conselho de Administração da Petrobras. O que é MAIS UMA MENTIRA DE MARINA. O TCU isentou  presidente Dilma da culpa pela compra da refinaria de Pasadena

Na ação contra a peça, a Coligação Com a Força do Povo e a candidata a reeleição Dilma Rousseff sustentaram que na mídia veiculada no dia 29 de setembro, as representadas não se limitaram a tecer críticas de natureza política, mas buscaram veicular informação sabidamente inverídica em prejuízo à honra e à imagem da candidata, atribuindo-lhe responsabilidade inexistente.

Alegaram, ainda, que a propaganda ofende a coligação que tem o PT como um de seus integrantes, uma vez que o acusa de sustentar sua base no Congresso com dinheiro da corrupção, imputando conduta criminosa à agremiação.

No mérito da representação, que será julgada pelo plenário da Corte, a Coligação com a Força do Povo requer direito de resposta com a concessão de tempo não inferior a um minuto correspondente a cada peça de propaganda.

Liminar

Ao decidir, o ministro Herman Benjamin reconheceu que houve excesso no teor da propaganda e ofensa aos partidos que compõem a coligação. “No caso dos autos, ao menos em juízo de cognição sumária, próprio desta fase processual, entendo que há ofensa de caráter pessoal ao PT e partidos da base aliada, bem como exploração indevida de dado que ainda é sigiloso (delação premiada), ou seja, cujo teor o público geral não conhece”, enfatizou em seu voto.

Segundo o ministro, embora o escândalo da Petrobras venha sendo amplamente divulgado na mídia,  não se tem notícia de que a candidata Dilma Rousseff tenha sido responsabilizada pelo Tribunal de Contas da União em relação à compra da refinaria.

Lembrando que o direito de resposta é cabível nas hipóteses em que candidatos, partidos e coligações forem atingidos, ainda que de forma indireta, por conceito, imagem ou afirmação caluniosa, difamatória, injuriosa ou sabidamente inverídica, Herman Benjamin afirmou que a suspensão da propaganda é uma medida prudente.

“Ante o exposto, defiro a liminar, a fim de determinar a suspensão imediata da propaganda eleitoral atacada, sob pena de fixação de multa diária”, concluiu o relator. As informações estão no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

O TCU (Tribunal de Contas da União) isentou a presidente Dilma Rousseff e responsabilizou os integrantes da antiga diretoria da Petrobras pelo bilionário prejuízo na compra da refinaria americana de Pasadena.

O TCU atribui aos 11 executivos a responsabilidade pelo prejuízo na compra da refinaria de Pasadena, na Califórnia, nos EUA.
O relatório de quase 300 páginas foi aprovado por unanimidade pelos ministros do tribunal, e isenta de culpa os conselheiros da Petrobras, que autorizaram a compra. Entre eles, a presidente Dilma, que na época presidia o conselho.

E o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, arquivou a representação de partidos de oposição contra a presidente Dilma e o conselho de administração da Petrobras, pelas supostas irregularidades na compra da refinaria. Segundo Janot, não é possível responsabilizar o conselho administrativo.
Posted: 29 Sep 2014 06:44 PM PDT

Pesquisa Vox Populi divulgada na noite desta segunda-feira, 29, pela Rede Record, mostra vantagem de 16 pontos da presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, sobre Marina Silva (PSB) no primeiro turno e de 7 pontos no segundo.

No primeiro turno, o levantamento aponta Dilma com 40% das intenções de voto contra 24% de Marina e 18% do candidato Aécio Neves (PSDB). Votos em branco e nulos são 6% e indecisos, 11%. Na pesquisa anterior, divulgada na quinta-feira, 25, pela revista CartaCapital, Dilma aparecia com 38%, Marina, com 25%, e Aécio, com 17%.

Na simulação de segundo turno, Dilma aparece com 46% contra 39% de Marina. Na mostra anterior, a petista somava 42% contra 41% da pessebista. Os votos em branco e nulos somam 9%, e os indecisos, 6%. Num cenário que considera Aécio o adversário de Dilma, a petista tem 48% contra 38% do tucano. Na mostra anterior, a presidente tinha 45% contra 37% do senador. Os votos em branco e nulo somam 9%, e os que não sabem ou não responderam, 5%

Os candidatos Pastor Everaldo (PSC) e Luciana Genro (PSOL) têm 1% nas intenções de voto cada. Eduardo Jorge (PV), Levy Fidelix (PRTB), Eymael (PSDC), Rui Costa Pimenta (PCO), Mauro Iasi (PCB), José Maria de Almeida (PSTU) não pontuaram.

Em termos numéricos, Dilma possui a maior parte da preferência em todas as regiões do País, de acordo com a pesquisa. No Sudeste, maior colégio eleitoral, ela alcançou 29%, contra 26% de Marina e 21% de Aécio. Os adversários têm 2% juntos, votos em brancos e nulos totalizam 9% e indecisos são 14%.

No Nordeste, a presidente obteve 60% das intenções, contra 20% de Marina e 8% de Aécio. Os demais concorrentes somaram 1%, enquanto em branco e nulos são 4% e indecisos, 6%. No Sul, Dilma atingiu 35%, contra 29% de Aécio e 17% da ex-senadora. Os demais somam 3%, em branco e nulos são 4% e os indecisos, 12%.

No Centro-Oeste e Norte, a petista tem 40%, Marina, 28%, e Aécio, 19%. Outros candidatos totalizam 1%, em branco e nulos são 2% e os eleitores que não sabem ou não responderam atingiram 10%.

O Vox Populi, contratado pela Rede Record, entrevistou 2 mil eleitores em 147 cidades do País entre 27 e 28 de setembro. A margem de erro é de 2,2 pontos porcentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00888/2014.
Posted: 29 Sep 2014 06:42 PM PDT

Dilma sobe de 36% para 40,4%, Marina tem 25,2%

Pesquisa MDA divulgada nesta segunda-feira (29), mostra que a presidente Dilma ampliou a vantagem que tinha em relação a Marina Silva no primeiro turno da corrida ao Palácio do Planalto. Dilma subiu de 36% para 40,4% das intenções de voto. Marina caiu de 27,4% a 25,2%, na comparação para a sondagem divulgada no dia 23 de setembro. O candidato do PSDB, Aécio Neves, subiu de 17,6% para 19,8%

No principal cenário de disputa para segundo turno, Dilma venceria Marina por nove pontos de vantagem. Dilma tem 47,7% contra 38,7% de Marina. No levantamento anterior, Dilma tinha 42% e Marina, 41%, em situação de empate técnico.

Na disputa entre Dilma e Aécio, a presidente também ampliou a diferença e se reelegeria com 49,1% contra 36,8% do tucano. A petista tinha 45,5% contra 36,5% do tucano.

Segundo a CNT, foram entrevistados 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 unidades federativas das cinco regiões do País, nos dias 27 e 28 de setembro. A margem da pesquisa de erro é de 2,2 pontos porcentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número BR-00992/2014.

Dilma ultrapassa Marina em potencial de voto

Pesquisa  mostra que, em relação ao levantamento divulgado na semana passada, a presidente Dilma  ultrapassou a adversária Marina Silva no quesito potencial de voto. Ao todo, 57,6% dos entrevistados disseram que Dilma é a única candidata em que votariam (29,4%) ou é uma candidata em que poderiam votar (28,4%). No levantamento anterior, esse porcentual da petista era de 54,1%.

Marina Silva, por sua vez, registrou 55% de potencial de voto. Ao todo, 14,6% disseram que a candidata do PSB é a única em que votariam e para outros 40,4% é uma candidata em que poderiam votar. Na sondagem anterior, ela tinha 58,2% de potencial de voto.

O candidato do PSDB, Aécio Neves, oscilou de 51,7% para 53,5%. Isto é, 12,4% consideram o tucano como a única opção de voto e para outros 41,1% é um candidato em que poderiam votar.

 Avaliação positiva do governo sobe para 41%

Pesquisa MDA  mostra que a avaliação positiva do governo Dilma Rousseff subiu de 37,4% do levantamento anterior divulgado na semana passada para 41%. Esse é o porcentual das pessoas que consideram o governo ótimo ou bom.

A avaliação negativa do governo oscilou de 25,1%, do levantamento anterior, para 23,5% no indicador divulgado nesta segunda-feira. O porcentual daqueles que avaliam o governo como regular está em 35%, ante 36,8% do último levantamento.

Segundo a Confederação Nacional do Transportes (CNT), responsável por contratar o instituto, foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 unidades federativas das cinco regiões do País, nos dias 27 e 28 de setembro.
Posted: 29 Sep 2014 03:39 PM PDT


O ex-presidente Lula afirmou, durante comício em Franco da Rocha, município 40 km ao norte da cidade de São Paulo, que essa semana que antecede as eleições será "a semana da mentira". Ao lado do candidato Alexandre Padilha (PT), o ex-presidente disse que o eleitor precisa escolher bem todos os candidatos e voltou a citar a ordem da votação: deputado estadual, federal, senador, governador e presidente.

 Lula  falou também situação econômica atual, assim como fez antes do comício, quando participou de um desfile em carro aberto, debaixo de chuva, pelo centro de Franco da Rocha. "Eles reclamam da inflação, mas se esquecem que no tempo deles a inflação era de 80% ao mês", disse.

Lula lembrou ainda os 12 anos do PT no governo e disse que o Pais não pode permitir retrocesso. "Não foi fácil chegar até aqui e fazer o povo brasileiro acreditar em nós", disse, lembrando que muitos trabalhadores tinham receio de votar em alguém sem diploma. Usando seu próprio exemplo, Lula disse que a inteligência não está ligada a um diploma e ressaltou que passou a ser uma pessoa respeitada no mundo.

Lula voltou a defender a escolha da presidente Dilma Rousseff como sua sucessora e reafirmou que ela é a mais preparada. Ele observou que muita gente diz a Marina (Silva, PSB) é tão parecida com ele, tão amiga, foi fundadora do PT e se pergunta porque ele está apoiando a Dilma. "Escolher sucessora é como escolher um padrinho para seus filhos", respondeu Lula a esses questionamentos.

 Falando com os comerciantes das lojas e com os populares,  Lula destacou a geração de empregos no governo Dilma e disse que antes o povo não tinha dinheiro para comprar as coisas.

Ele também  apresentou Padilha. Lembrou que o candidato ao governo do estado de São Paulo foi seu ministro e ministro da presidente Dilma. Lula disse ainda acreditar que em São Paulo essa será a eleição da virada, já que Padilha está na terceira colocação, com apenas 9% das intenções de voto.

Ao destacar que Padilha era ministro quando o programa mais médicos foi implantado, Lula observou que é preciso garantir cada vez mais tratamentos de qualidade para todas as pessoas. Ele disse ainda conhecer muito bem os médicos, pois era atendido quando metalúrgico e quando presidente.

Lula ainda disse que  tem gente que diz que é bem tratando porque paga um plano médico. Segundo ele, isso mentira, pois as pessoas que pagam um plano médico, descontam o que pagam no imposto de renda e quem termina pagando é o povo.

Mais uma vez usando seu próprio exemplo, Lula disse que quando é atendido no Sírio Libanês, deduz as despesas no imposto de renda. "Quem paga o bom tratamento que eu tenho é o povo que não tem o mesmo tratamento que deveria ter", disse.

O ex-presidente, sem citar o governador Geraldo Alckmin, disse que São Paulo não pode ter esse descaso. "Ele não garante nem mais água para as pessoas", observou.

Lula lembrou  que quem ainda está em dúvida em quem votar não pode esquecer o que era esse país antes do PT", disse. Após a agenda em Franco da Rocha, Lula e Padilha se encontram com a presidente Dilma para outro comício no Campo Limpo, zona sul da cidade de São Paulo.
Posted: 29 Sep 2014 05:13 PM PDT


Durante o debate entre candidatos à Presidência da República promovido pela Rede Record, Dilma Rousseff questionou a constante mudança de posicionamento da candidata Marina Silva sobre assuntos importantes ao País, e afirmou que “Governar requer firmeza, coragem, posições claras e atitude firme. Não dá para improvisar”.

A candidata do PSB afirmou ter votado a favor do Fundo de Combate à Pobreza, cuja composição seria feita por meio de recursos da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) e impostos sobre cigarro. Contudo, Marina Silva votou contra a CPMF. Registros do site do Senado Federal (“votações nominais”) mostram que Marina ficou contra o tributo em 1995 e em 1999. Em 2002, a candidata do PSB não registrou seu voto, o que, no caso de propostas de emenda constitucional, equivale a ser contrário, uma vez que é preciso ter 49 votos “sim” para a aprovação.
Confira abaixo a tramitação da CPMF no Senado e os votos da então Senadora Marina Silva:

PEC 40/1995: Dispõe sobre a instituição de contribuição social para o financiamento das ações e serviços de saúde. Proposta foi aprovada e transformada em lei (Emenda à Constituição nº 12/1996).

Votação em 1º turno (18/10/1995) = Senadora Marina Silva votou contra
Votação em 2º turno (08/11/1995) = Senadora Marina Silva votou contra

PEC 34/1998: Prorroga, alterando a alíquota, a cobrança da contribuição a que se refere o artigo 74 do ato das disposições constitucionais transitórias por 36 meses. Proposta foi aprovada e transformada em lei (Emenda à Constituição nº 21/1999).

Votação em 1º turno (06/01/1999) = Senadora Marina Silva votou contra
Votação em 2º turno (19/01/1999) = Senadora Marina Silva votou contra

PEC 18/2002:  Altera os artigos 100 e 156 da Constituição Federal e o artigo 81 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, e acrescenta os artigos 84, 85, 86, 87 e 88 ao Ato das Disposições Constitucionais Transitórias (Prorroga a vigência da CPMF até 31/12/2004). Proposta foi aprovada.

Segundo consta nos anais do Senado Federal, Marina Silva nunca votou favoravelmente à criação do tributo.
Posted: 29 Sep 2014 11:56 AM PDT

Faltando poucos dias para a derradeira escolha dos eleitores brasileiros, uma tendência se consolida a cada divulgação de novos números das pesquisas: Marina Silva cai, despenca, rola ladeira abaixo. E o motivo para tanto desencanto dos eleitores não são as críticas de seus adversários ou a orquestração de uma “campanha de desconstrução” como bradam seus aliados. Marina Silva cai por uma única razão: saco vazio não para em pé.

 A candidata do PSB não subiu nas pesquisas por que tinha propostas interessantes ou por que tinha poder de mobilizar grandes massas de seguidores entusiasmados. Marina só subiu porque o avião caiu. Se não fosse o triste acidente que ceifou a vida de Eduardo Campos, hoje Marina Silva estaria em casa costurando a barra de suas saias, como mostrou a imagem vazada por sua campanha, na tentativa de maquiá-la como uma mulher simples e humilde.

Humildade e simplicidade nunca fizeram parte da personalidade de Marina Silva. E o eleitor percebeu isso ao longo dessa campanha. Nem a sua tentativa de se mostrar como “a ungida” funcionou. Seus xales messiânicos, usados como adereço de fantasia de escola de samba, não conseguiram cumprir o seu papel de capa da mulher maravilha.

Marina Silva despenca porque, na sua tentativa de agradar a gregos e troianos, só conseguiu semear desconfiança, contradições e falsidades. Nessa campanha todos sabem o que exatamente pensam Luciana Genro, Aécio, Dilma, Eduardo Jorge, Pastor Everaldo e até o infame Levy Fidelix. Marina segue sendo uma incógnita.

A desconstrução da candidata do PSB é real e é capitaneada pela própria Marina Silva. Em seus “disse e não disse”, em suas contradições, em suas idas e vindas, em suas mentiras (vide o caso da votação da CPMF no Senado) e, principalmente, em suas constantes submissões a grupos que antes dizia combater, mostraram-na como realmente é: um saco vazio.

Ela se diz vítima da falta de tempo na TV. Os dois minutos a que tem direito pela legislação eleitoral não a impediram de crescer nas pesquisas. Crescer ela cresceu, só não se sustentou. E não se manteve em ascensão por que seus pés de barro ruíram.

A história de vida de Marina Silva lembra o roteiro do filme “A mão do macaco”, onde essa parte da anatomia dos símios era dada de presente às pessoas com o objetivo de realizar seus desejos. E toda vez que alguém recebia a tal “mão” e desejava algo, ele se concretizava. Só que de forma trágica. Lembro-me de uma cena em que um empresário falido e desesperado “pediu” à mão que o ajudasse a conseguir um milhão de dólares. No mesmo instante, o avião em que viajava a mãe do empresário caiu e ele recebeu exatamente um milhão de dólares do seguro de vida da pobre senhora.

Marina Silva é como um tsunami. Eles surgem do desequilíbrio na harmonia natural da vida e deixam marcas de destruição por onde passam. Assim foi sua passagem pelo PT, pelo PV, está sendo agora no PSB e assim será em qualquer outra agremiação partidária que se deixar iludir. E também assim como todos os Tsunamis, sempre acabará na praia, em meio aos entulhos e o desespero daqueles que conseguiram sobreviver.E o saco vazio continuará seguindo a esmo.

BlogsDener Giovanini -  Aqui no Estadão
Posted: 29 Sep 2014 05:18 AM PDT


 Moeda de troca eleitoral, ações da PF favorecem governo aparentemente disposto a investigar roubalheiras

Novembro/dezembro de 1989: com a possibilidade de um candidato metalúrgico chegar ao poder, a elite dominante se uniu para fechar a porta do Planalto. A empreitada produziu momentos inesquecíveis da baixaria eleitoral.

Primeiro foram atrás de uma ex-mulher de Lula para acusá-lo de defender o aborto. Não bastou. Com a ajuda da polícia paulista, o sequestro do empresário Abilio Diniz foi atribuído a grupos internacionais supostamente simpáticos ao PT. Fotografias de sequestradores com a camiseta do partido circularam sorrateiramente, de preferência nem tanto.

Também era pouco. Faltava a televisão. Numa edição que o então diretor de jornalismo da TV Globo, Armando Nogueira, admitiu anos depois ter sido enviesada, o debate entre Lula e Collor carregou nas tintas em favor do autointitulado caçador de marajás. Para fechar o cerco, denúncias de fraude em massa na Bahia foram sufocadas para selar a vitória de Collor. O resto é de todos conhecido.

Setembro/outubro de 2014: numa sucessão galopante, denúncias e mais denúncias aparecem para tentar provar que o governo petista não passa de uma quadrilha de saqueadores. A origem são as tais delações premiadas, diante das quais dispensam-se provas ou evidências cabais. O réu fala o que quiser, e seria um sinal de retardo mental acreditar que vá falar algo em seu prejuízo.

Basta ver as reportagens. Os verbos mais usados são indicam, sugerem, supõem, fazem crer, sinalizam -tudo com muito cuidado para, ao mesmo tempo, espalhar a dúvida e escapar de processos. Chega-se ao ponto de acusar o ex-ministro Antonio Palocci de pedir a doleiros recursos para a campanha de Dilma. Mas a mesma reportagem reconhece não haver provas de que o dinheiro jorrou. Lembra aquela outra peça de ficção, assinada por um hoje influente assessor de governo tucano, que acusava petistas de ganhar por fora, mas declarava, ao mesmo tempo, não ter condição de confirmar ou desmentir as próprias afirmações transformadas em capa! Nota: nada foi comprovado.

O clima agora é parecido, mas os personagens atrapalham a oposição. O frisson do momento é a delação premiada de Alberto Youssef. Mas quem é Youssef? Um mergulho num passado não tão distante mostra que ele foi um dos doleiros usados pelo então operador do caixa do PSDB, Ricardo Sérgio, para externalizar , num linguajar ao gosto da legenda, propinas da privatização selvagem dos anos 1990.

Youssef é velho de guerra tanto em delitos com em delação premiada. Já fez uma em 2004, na época da CPI do Banestado, quando se comprometeu a nunca mais sair da linha. O tamanho de sua confiabilidade aparece em sua situação atual. Está preso de novo. Quem diz é o Ministério Público: Mesmo tendo feito termo de colaboração com a Justiça (...), voltou a delinquir, indicando que transformou o crime em verdadeiro meio de vida. É num sujeito com tal reputação que oposicionistas apostam suas fichas.

Resumo da ópera: sem investigação a fundo, nada vale. Espera-se que a esdrúxula teoria do domínio do fato tenha sido enterrada na gestão Joaquim Barbosa, atualmente mais preocupado com tarifas telefônicas. Goste-se ou não, o bueiro escavado em governos pregressos e nas privatizações feitas no limite da irresponsabilidade está sendo aberto pelas administrações petistas. Talvez por isso Dilma tenha deslanchado nas pesquisas, enquanto Marina e Aécio (com aquele ar de falsa virgem já inúmeras vezes deflorada) patinam nas intenções de voto. 

Por Ricardo Melo - Colunista da Folha

30/9 - BRASIL! BRASIL! de HOJE

BRASIL! BRASIL!


Posted: 30 Sep 2014 04:50 AM PDT

"Quando falta uma semana para o primeiro turno, Luciana Genro não disse de que lado está numa eleição que não tem chance de vencer

Paulo Moreira Leite, Blog: Paulo Moreira Leite

Luciana Genro certamente vai deixar a campanha presidencial de 2014 como uma das revelações do primeiro turno.

A candidata do PSOL calou o discurso de mudanças de Eduardo Jorge, ontem, ao lembrar sua participação, subordinada, em governos conservadores, a começar pelo PSDB de José Serra, em São Paulo, explicando que vivemos numa sociedade dividida em classes, na qual é preciso escolher um lado.

No debate no SBT, Luciana Genro discutiu política econômica para fazer uma pergunta curta e direta para Marina Silva: “Tu és a segunda via do PSDB?” Diante da firmeza evasiva que tem pontuado as respostas da candidata do PSB, Luciana Genro acrescentou: “Não dá, Marina. Tem que escolher um lado.” Desta vez, foi ainda mais clara: lembrou que existe “o lado do capital e o lado dos trabalhadores.” No debate promovido pela Igreja Católica, Luciana desvendou a hipocrisia do discurso moralista de Aécio Neves.
Mais informações »
Posted: 30 Sep 2014 04:25 AM PDT

, GGN

"Até meados da semana passada, tinha aumentado bastante a chance de Aécio Neves ir para o segundo turno. Essa possibilidade reduziu-se bastante nos últimos dias. Seu crescimento na semana passada induziu alguns institutos a apostar que poderia passar Marina até o dia 28. Não ocorreu. Chegou nos limites da margem de erro, a 5 pontos de Marina, mas não conseguiu sustentar o crescimento. Quando se analisa a tendência de voto a ele, cresce muito devagar, com algumas oscilações para baixo. E Marina parece sustentar sua posição na faixa dos 23 a 24%.

Em função do melhor desempenho no debate de ontem, na Record, é possível que Aécio melhore um pouco. Mas a probabilidade maior é de Marina passar para o segundo turno.

Do mesmo modo, Dilma vem crescendo significativamente nos últimos dias. Cresceu a probabilidade da eleição ser definida no primeiro turno. Mas a chance maior – na faixa de 80% - é haver segundo turno.

Dos dois adversários de Dilma, Marina é a que tem maior potencial. O voto em Aécio é francamente de protesto, antipetista, e tenderá a ser absorvido quase na totalidade pela candidatura Marina. Já o voto em Marina não é homogêneo, de maneira que Aécio só conseguiria absorver parte da votação."
Posted: 30 Sep 2014 04:14 AM PDT

"Acionistas do Itaú e da Natura, Neca Setubal e Guilherme Leal bancaram praticamente todos os custos do Instituto Democracia e Sustentabilidade, criado por Marina Silva; ambos deram R$ 6,8 milhões, em cotas idênticas de R$ 3,4 milhões, dos R$ 7 milhões arrecadados pela entidade desde 2010; revelação foi feita pela ex-secretária-executiva da ONG, Alexandra Reschke, ao jornalista Thiago Herdy, do jornal O Globo; tanto o Itaú quanto a Natura foram multados pela Receita Federal durante o governo Dilma; o banco em R$ 18,7 bilhões e a produtora de cosméticos em R$ 628 milhões; Neca, que fala em nome da candidata sobre temas como a independência do Banco Central, também doou mais R$ 1 milhão para outra entidade criada pela ex-senadora, o Instituto Marina Silva

Brasil 247

Dos R$ 7 milhões arrecadados desde 2010 pelo Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS), uma das ONGs de Marina Silva, 97,1% vieram de dois empresários que têm participação ativa em sua campanha: Neca Setubal, a herdeira do Itaú que coordena o seu programa de governo, e Guilherme Leal, um dos sócios da fabricante de cosméticos Natura. Cada um contribuiu com cerca de R$ 3,4 milhões, segundo a ex-secretária-executiva da entidade, Alexandra Reschke.
Mais informações »
Posted: 29 Sep 2014 05:49 PM PDT

Posted: 29 Sep 2014 05:48 PM PDT
"Candidata do PSB tem leve recuperação e diferença para a petista diminuiu
para 16 pontos 

CartaCapital

A seis dias da eleição, a nova pesquisa de intenção de voto do Vox Populi, divulgada nesta segunda-feira 29, mostra um cenário de possível segundo turno entre a presidenta e candidata do PT à reeleição, Dilma Rousseff, e a candidata do PSB, Marina Silva. Isso porque a ex-senadora teve uma leve recuperação e diminuiu para 16 pontos a diferença entre ela e a petista. De acordo com o levantamento, Dilma tem 40%, Marina agora alcança 24% e Aécio possui outros 18%.

Em comparação com a consulta anterior, feita em 23 de setembro, Dilma permanece com os mesmos 40%, Marina Silva sobe dois pontos percentuais, já que antes estava com 22%, e Aécio cresce um ponto. Com isso, ao contrário do que apontou o último levantamento, a presidenta não venceria no 1º turno. Além dos candidatos principais, aparecem com 1% o candidato do PSC, Pastor Everaldo, e a candidata do PSOL, Luciana Genro. O número de brancos e nulos chega a 6%. Já os indecisos representam 11%.

Em um eventual segundo turno, a situação é igual ao do último levantamento. Dilma venceria Marina Silva com os mesmos 46% a 39%. Na outra simulação, a candidata do PT tem 48% e o representante tucano possui 38% da preferência do eleitorado.

A consulta, encomendada pela TV Record, foi feita com base em entrevistas com 2000 eleitores, entre os dias 27 e 28 de setembro, em 147 cidades do País. A margem de erro é de xx pontos percentuais, para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número BR - 00888/2014."
Posted: 29 Sep 2014 05:39 PM PDT

"Reta final da eleição é inaugurada com o pior pregão da Bovespa em três anos; depressão inversamente proporcional às chances de presidente Dilma Rousseff liquidar eleição em primeiro turno; Petrobras cai 11%, Eletrobras perde 7% e até o Itaú, que faz parte do índice Marina Silva, também recua sete pontos; dólar sobe para R$ 2,47, máxima desde 2008; para se fortalecer, Dilma prometeu mudar política econômica, mas mercado prefere operar no caos e apostar na caixa preta de Marina; irracionalidade progressiva

Marco Damiani, Brasil 247 

A gangorra estabelecida entre o crescimento da presidente Dilma Rousseff nas pesquisas de opinião e a depressão do mercado financeiro chegou ao seu ponto mais extremo nesta segunda-feira 29. O índice Bovespa atingiu seu ponto mais baixo em três anos, aos 54.625 pontos, em queda de 4,52%. Na outra ponta, Dilma nunca se mostrou tão em alta, ao marcar 40,3% em pesquisa CNT/MDA, 15 pontos à frente de Marina Silva, do PSB, no primeiro turno, e com nove pontos de vantagem na segunda volta.

O dólar deu mais peso para a derrubada da Bovespa, com aumento de 1,6% e fechamento em R$ 2,47, a maior taxa desde 2008. Um cenário econômico caótico a partir de um fato político que já era pedra cantada. Dilma vem abrindo diferença para Marina desde que começou a apontar-lhe paradoxos em seus posicionamentos públicos e contradições entre seu programa de governo e sua prática política.
Mais informações »
Posted: 29 Sep 2014 05:12 PM PDT

Ricardo Kotscho, Balaio do Kotscho

"Existem situações em que até os idiotas perdem a modéstia".

A imortal frase acima, claro, não é minha, mas do grande Nelson Rodrigues, que morreu em 1980, e não sabe o que perdeu de lá para cá.

Vira e mexe meu amigo Nelson Jobim cita esta frase do seu xará ao comentar os assuntos da semana nos nossos encontros aos sábados aqui no boteco da esquina de casa.

Nunca, porém, esta perfeita definição de Nelson Rodrigues pôde ser tão bem aplicada como na participação do candidato Levy Fidelix no debate entre presidenciáveis promovido pela TV Record na noite deste domingo.

Antigamente, nos tempos de Nelson Rodrigues, estes tipos eram mais discretos, andavam pelos cantos, raramente se manifestavam e jamais se candidatariam a presidente da República.

A participação deste e de outros nanicos folclóricos na atual campanha presidencial serve apenas para demonstrar a falência do sistema político-partidário-eleitoral no nosso país. É triste e preocupante.

Quem já escreveu tudo a respeito deste deprimente episódio foi meu colega Marco Antonio Araújo, em seu blog "O Provocador" (ver link), publicado nesta segunda-feira, aqui mesmo no R7. Está lá tudo o que eu gostaria de escrever sobre o assunto."
Posted: 29 Sep 2014 04:43 PM PDT
Ele
DCM

“Pelo que eu vi na vida, dois iguais não fazem filho. E digo mais, aparelho excretor não reproduz. Tem candidato que não assume isso com medo de perder voto. Prefiro não ter esses votos, mas ser pai, avô que instrua seu neto. Não vou estimular a união homoafetiva. Se está na lei, que fique como está”, disse Levy Fidelix, no momento que marcou o debate mais agressivo entre os candidatos à presidência.

“Se começarmos a estimular isso aí, a população do Brasil vai cair de 200 milhões para 100 milhões. Vai andar pela Paulista pra você ver. Somos maioria vamos combater essa minoria.”

Em alguns minutos, Levy Fidelix foi de extravagância eleitoral a excrescência. Pegou de surpresa quem acreditou em sua fantasia psicodélica de tio do pavê obcecado por trens.
Mais informações »
Posted: 29 Sep 2014 04:16 PM PDT

Fernando Brito, Tijolaço 

"Como era de se esperar, a Bovespa despenca esta manhã.

Chegou, na abertura, a cair mais de 5%.

O dólar quase bateu os R$ 2,48.

Mas deram uma parada, que corresponde ao próprio dilema da direita.
No mundo do “mercado”, o que não é varejo é atacado.
No atacado, cada vez mais gente se conforma com a ideia de que o governo Dilma-Lula tem crescentes chances de continuar e que é preciso construir (ou reconstruir) pontes para o diálogo.

Haverá boa-vontade de Dilma nisso, mas não incondicional.
Mais informações »
Posted: 29 Sep 2014 03:32 PM PDT

"Primeiro levantamento da semana que antecede as eleições aponta a presidente Dilma com 40,4% das intenções de voto, contra 25,2% de Marina Silva, vantagem de 15 pontos; petista cresceu 4,4 pontos em relação à mostra anterior, enquanto a candidata do PSB caiu 2,2; Aécio Neves, do PSDB, sobe 2,2 pontos, para 19,8%; em simulação de segundo turno, petista seria reeleita com 47,7%, contra 38,7% de Marina, vantagem de nove pontos; na pesquisa anterior, disputa entre as duas daria empate técnico; avaliação positiva do governo Dilma cresceu de 37,4% para 41%, enquanto a negativa diminuiu, de 25,1% para 23,5%

Brasil 247

Primeira pesquisa da semana que antecede as eleições presidenciais, levantamento CNT/MDA aponta vantagem de 15,2 pontos da presidente Dilma Rousseff sobre Marina Silva no primeiro turno. A candidata do PSB, que caiu 2,2 pontos em relação à última mostra, de uma semana atrás, tem agora 25,2% das intenções de voto.

Aécio Neves, que havia registrado 17,6% das intenções de voto na última terça-feira 23, cresceu para 19,8% nesta segunda-feira 29, se aproximando da segunda colocada. O avanço da candidata à reeleição, que agora tem 40,4% das intenções de voto, foi de 4,4 pontos se comparado com a última pesquisa.
Luciana Genro (PSol) cresceu de 0,9% para 1,2%. Já Pastor Everaldo (PSC) reduziu de 0,8% para 0,6%. Os outros candidatos aparecem com 0,5%, enquanto votos brancos e nulos somam 5,9%. Outros 6,4% não sabem ou não responderam.
Mais informações »
Posted: 29 Sep 2014 06:09 AM PDT

Posted: 29 Sep 2014 06:07 AM PDT
"Mais uma potoca da Bláblá e ela volta a 2010.

Paulo Henrique Amorim, Conversa Afiada

"As equipes do DataCaf se atrasaram um pouco, mas conseguiram produzir, na segunda-feira de manhã, o tracking elaborado entre sábado e domingo, em especial homenagem ao Ataulfo (no ABC).

Ele andou dizendo por aí que o tracking do DataCaf não tem a consistência técnica do Globope e do Datafalha.

Taí, nisso ele tem razão.

Nossa tecnologia é outra.

Aqui a gente controla a “margem de erro”.

Não tem esse negócio de levar pra lá e pra cá, conforme a demanda …

Sendo assim, o amigo navegante pode começar a se acostumar à hipótese cada vez mais plausível de que o Ataulfo será dispensado de eleger o Aecioporto no segundo turno.

Primeiro, porque o Aecioporto do Titio não iria ao segundo turno, nem em São João del-Rei.
Mais informações »
Posted: 29 Sep 2014 05:56 AM PDT
Candidatos conversam com assessores durante intervalo de debate na TV Record
Luiz Carlos Azenha, viomundo

"Sorteada para fazer a primeira pergunta no debate promovido pela TV Record, no domingo à noite, a candidata Dilma Rousseff acionou o tratoraço contra a adversária Marina Silva. No preâmbulo da pergunta, disse que a candidata do PSB “mudou de partido” e de posição e perguntou por que Marina, quando senadora, “votou quatro vezes contra a criação da CPMF”, o imposto do cheque já extinto cujos recursos eram voltados exclusivamente para o orçamento da Saúde.

Marina não respondeu diretamente à pergunta.

Eram 11h50  da noite quando, num dos intervalos do debate, entrou um comercial de 15 segundos da campanha de Dilma batendo na mesma tecla. Depois de demonstrar que Marina falou uma coisa em um debate anterior — que apoiava a CPMF — e de mostrar os registros de votos contrários dela no Senado, o narrador concluiu: “Agora, falar que fez o que nunca fez, isso tem nome”. O comercial leva o telespectador a concluir que Marina mentiu.

A agressividade de Dilma Rousseff, que buscou confrontos diretos com Marina e Aécio Neves (PSDB) durante o debate da Record, é reveladora da estratégia petista na reta final. Expressa a crença na cúpula da campanha de que é possível garantir a vitória já no primeiro turno."
Matéria Completa, ::AQUI::
Posted: 29 Sep 2014 05:49 AM PDT
http://pigimprensagolpista.blogspot.com.br/
Altamiro Borges, Blog do Miro 

Ibope e Datafolha, os dois institutos preferidos da elite tupiniquim, divulgaram novas pesquisas sobre a corrida presidencial. Os resultados não devem ter alegrado esta minoria tão abjeta da sociedade. Além de evidenciarem que a candidatura Dilma está mais consolidada, apesar do bombardeio midiático, eles não permitem superar a crise existencial dos ricaços. Para os que já tinham embarcado na canoa de Marina, as pesquisas indicam que a ex-verde está derretendo. Já para os que apostavam no tucano Aécio, elas revelam que seu crescimento é frágil. Para piorar, as sondagens ainda apontam que Dilma Rousseff pode ser reeleita já no primeiro turno. Haja insônia, angústia, sofrimento!
Mais informações »
Posted: 29 Sep 2014 05:15 AM PDT