quarta-feira, 30 de setembro de 2015

30/9 - Suíça bloqueia conta que teria Cunha como beneficiário

FONTE:http://www.istoe.com.br/reportagens/437669_SUICA+BLOQUEIA+CONTA+QUE+TERIA+CUNHA+COMO+BENEFICIARIO



 ISTOÉ Online |  30.Set.15 - 17:18 |  Atualizado em 01.Out.15 - 00:40

Suíça bloqueia conta que teria Cunha como beneficiário

Descoberta, segundo o Ministério Público suíço, ocorreu após a realização de um pente-fino nas transações de operadores do PMDB no esquema de corrupção na Petrobras

Estadão Conteúdo
Cunha_agbr_483x303.jpg
 
O Ministério Público da Suíça bloqueou uma conta que teria como beneficiário o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A descoberta da conta ocorreu após a realização de um pente-fino nas transações de operadores do esquema de corrupção na Petrobras.

No início da semana, o Estado revelou que os suíços abriram investigações criminais contra os lobistas Fernando "Baiano" Soares e João Augusto Henriques, apontados como operadores do PMDB no esquema na estatal petrolífera. Os dados da conta secreta que teria Cunha como beneficiário já foram repassados ao Ministério Público Federal no Brasil, assim como os detalhes de quem fez depósitos. As autoridades suíças prometeram divulgar mais informações até esta quinta-feira, 1º.

Condenado na Operação Lava Jato, Fernando Baiano fechou acordo de delação premiada e confirmou o relato de outro lobista, Julio Camargo, de que o presidente da Câmara teria recebido propina de pelo menos US$ 5 milhões por contratos de aluguel de navios-sonda pela Petrobras.

Cunha, que já foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República por corrução e lavagem de dinheiro, nega participação em irregularidades.
Henriques, também preso, revelou como eram as indicações políticas na Diretoria Internacional da Petrobras, controlada politicamente pelo PMDB, segundo a força-tarefa da Lava Jato. Ele afirmou à Polícia Federal que abriu uma conta na Suíça para pagar propina ao presidente da Câmara. Segundo ele, a suposta transferência para Cunha está ligada a um contrato da Petrobras relativo à compra de um campo de exploração em Benin, na África. Os suíços tentam rastrear essas contas, a fim de identificar os destinos dos recursos e o motivo do pagamento.

Novo delator. O Ministério Público da Suíça já havia anunciado na semana passa que abriu investigações contra o ex-gerente da área Internacional da Petrobras Eduardo Musa, novo delator da Operação Lava Jato e que também citou o presidente da Câmara. Seus ativos já foram bloqueados e procuradores tentam traçar o destino e origem do dinheiro que alimentou suas contas. No Brasil, Musa afirmou que chegou a ter US$ 2,5 milhões no banco Cramer e admitiu ter usado também o Credit Suisse e o Julios Baer.

Musa ainda disse à força-tarefa ter ouvido de Henriques que "quem dava a palavra final" em relação às indicações para a Diretoria Internacional da Petrobras era do deputado Eduardo Cunha.

No total, a Suíça anunciou a existência de US$ 400 milhões bloqueados nas contas do país, entre eles o valor de Musa. Ao Estado, Andre Marty, porta-voz do Ministério Público suíço, indicou que a investigação "foi aberta e que seus ativos foram congelados".

30/9 - Gasolina, com reajuste, está cara ou barata no Brasil?


FONTE:http://tijolaco.com.br/blog/gasolina-com-reajuste-esta-cara-ou-barata-no-brasil/

Gasolina, com reajuste, está cara ou barata no Brasil?

GASMINI

Petróleo, até as pedras sabem, é commodity.

Tem, portanto, preço internacional, e preço que caiu quase 50% desde nosso último reajuste da gasolina, no dia 6 de dezembro do ano passado. Em contrapartida, o dólar, de lá para cá, subiu 55%.

O preço do petróleo é, como o de todas as commodities, em dólar. Naquele dezembro passado, o preço do litro de gasolina variava entre R$2,85 e R$ 3,20 nas capitais brasileiras, segundo a ANP. O dólar valia, então, R$ 2,60, o que dava um preço de algo entre US$ 1,1 a US$ 1,25 por litro.

Hoje, com o dólar a R$ 4, e o litro de gasolina variando entre R$ 3,06 e R$ 4, segundo o último boletim da ANP, o preço em dólar vai de US$ 0,75 a US$ 1.

Abaixo do média mundial de US$ 1,06, mostrada pelo site GlobalPetrolPrices, de onde retirei o ranking, a preços de ontem, que reproduzo no post e, aqui, numa imagem ampliada, onde pode ser verificado o valor em dólar do preço do combustível em cada país, de forma legível, o que não é possível na miniatura.

Porque, sem informação, a discussão sobre se a gasolina está barata ou cara é um simples exercício de”achismo” ou então a conversa de que isso se deve aos impostos – o papo do Instituto Millenium, para quem o imposto é a encarnação do demônio.

O reajuste vai ter muito pouco impacto na inflação, porque parte dele será compensado pelo (aliás, tardio) crescimento do consumo de etanol, que não vinha, há muito tempo, oferecendo preço competitivo para concorrer com a gasolina.

Mas, é claro, a mídia vai se aproveitar para a conversa de sempre de que a Petrobras está “quebrada” para justificar um reajuste de 6%, que sequer atinge a inflação em real acumulada no período e apenas compensa a equação “baixa do petróleo x alta do dólar”.

E esfregando as mãos para mais um pouco de desgaste para o governo.

Mas bem que se poderia sugerir aos que acham que a gasolina deveria ser baratinha, quase de graça, que olhem para o exemplo dos “bolivarianos” da Venezuela, onde o país praticamente flutua em petróleo e a gasolina custa R$ 0,08 por litro. Querem ir pra lá?

30/9 - MP confirma contas de Cunha “e familiares” na Suíça


FONTE:http://tijolaco.com.br/blog/mp-confirma-contas-de-cunha-e-familiares-na-suica/

MP confirma contas de Cunha “e familiares” na Suíça

VAQUINHA2

O Ministério Público Federal comunicou, por nota oficial , ter recebido a investigação da Justiça da Suíça sobre contas de Eduardo Cunha e de “familiares” naquele país.

“As informações do MP da Suíça relatam contas bancárias em nome de Cunha e familiares. As investigações lá iniciaram em abril deste ano e houve bloqueio de valores.”

Ou seja, há mesmo conta na Suíça, o que não consta das declarações de bens de Eduardo Cunha, o que já é motivo de cassação do seu mandato parlamentar, independente de processos penais por “lavagem de dinheiro e corrupção passiva”, como diz a Procuradoria ao anunciar que o processará por estes crimes.

“Por ser brasileiro nato, Eduardo Cunha não pode ser extraditado para a Suíça. O instituto da transferência de processo é um procedimento de cooperação internacional, em que se assegura a continuidade da investigação ou processo ao se verificar a jurisdição mais adequada para a persecução penal”, diz o MP para explicar a transferência da investigação da Suíça para cá.

A vaquinha, agora suíça, de Eduardo Cunha caminha solenemente para o destino inevitável. Nem mesmo aqui, com o nosso estranho critério de Justiça, algo assim pode passar em branco.

Mesmo que em plena sessão da Câmara, que estou acompanhando pela televisão, não haja um deputado sequer para comunicar publicamente que o homem que está sentado na cadeira que comanda o plenário, há um limite para o silêncio.

30/9 - Folha Diferenciada DE HOJE

Folha Diferenciada


Posted: 30 Sep 2015 07:10 AM PDT

O Partido dos Trabalhadores ingressou, nesta terça-feira (29), com um mandado de segurança junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para anular recente decisão do ministro Gilmar Mendes, que determinou, no dia 21 de agosto, a reabertura da análise das contas de Dilma Rousseff à reeleição.

Gilmar defende a reabertura de um processo transitado em julgado

A ação justifica que a prestação de contas da campanha da presidenta foi aprovada pela Corte, por unanimidade, em 10 de dezembro de 2014, e, portanto, o ato praticado pelo ministro é “inconstitucional” e “ilegal”.

“Trata-se da questão da segurança jurídica enquanto princípio constitucional que deve ser observado tanto para a administração pública, como para os cidadãos. O respeito à Constituição é, fundamentalmente, o respeito à dignidade da pessoa humana”, explica Mathius Sávio Cavalcante Lobato, advogado da legenda que assina o documento.

O PT ressalta ainda que a reabertura da análise das contas “viola o princípio da coisa julgada”, artigo 5º da Constituição Federal, já que a aprovação das já transitou em julgado, isto é, não cabe mais recurso, há quase seis meses. O advogado reforça que a tentativa de Mendes põe em risco a segurança jurídica e atinge o princípio constitucional.

O mandado de segurança destaca ainda que a decisão de reabertura da análise das contas não encontra suporte jurídico necessário no artigo 35 da Lei dos Partidos Políticos, usado como referência para o despacho do ministro.

Para a defesa, as contas aprovadas por unanimidade pelo TSE estão dentro da legalidade e a suspeita levantada pelo ministro, de que doações oriundas de empresas investigadas pela Operação Lava Jato sejam decorrentes de corrupção, é “frágil”.

Caso contrário, afirmam os advogados, as mesmas suspeitas deveriam recair sobre todas as campanhas que receberam doações dessas empresas.

“Constata-se que as mesmas empresas que estão sob investigação policial são doadoras de grandes somas para o PSDB e para o candidato derrotado Aécio Neves (…). Se as doações ocorridas ao Partido dos Trabalhadores por estas empresas são consideradas como de corrupção, logicamente que as doações ocorridas ao partido PSDB também o são”, diz o documento entregue ao TSE.


Do Portal Vermelho, com informações do site do PT
Posted: 30 Sep 2015 06:53 AM PDT
Intocável

O que mais Eduardo Cunha tem que fazer para que o detenham?

Assaltar um banco à luz do sol? Bater na sogra no Dia das Sogras?

Um, dois, três, quatro, cinco depoimentos coincidem em acusá-lo de coisas pesadíssimas no terreno da corrupção.

Daqui a pouco não haverá mais dedos para fazer essa contagem macabra.

E o que se vê é Eduardo Cunha conspirando como se estivesse livre de qualquer suspeita.

Sabe-se que ele quer agora derrubar uma decisão, a um só tempo, do STF e de Dilma, a que vetou dinheiro de empresas nas campanhas.

Cunha tenta achar uma gambiarra que permita a manutenção dessa que é a fonte primária de corrupção no país.

Em qualquer situação, seria um acinte. Nas presentes circunstâncias, é um crime de lesa pátria.

Como sempre, ele legisla em causa própria. Cunha simplesmente não existiria sem os milhões que as empresas investem nele para que, no Congresso, defenda os interesses delas.

Ele se elege com este dinheiro e, como sua capacidade arrecadadora é enorme, ajuda a eleger outros políticos que comerão depois em sua mão.

Foi assim que virou presidente da Câmara.

Tantas evidências se acumulam contra ele e Cunha age como um Napoleão do Congresso, para vergonha do país.

Por que essa impunidade não termina?

Cunha simplesmente desmoraliza a tese de que o Brasil trava um combate épico contra a corrupção.

Ao contrário, ele reforça a suspeita de muitos de que este combate épico é seletivo, cínico e demagógico. É fácil engaiolar Dirceu, Genoíno, Vaccari. E virtualmente impossível dar o mesmo destino ao outro lado, mesmo com a folha corrida de um Eduardo Cunha

Fiz a pergunta que abre este artigo no Facebook: o que Cunha tem que fazer para responder por suas delinquências?

Uma resposta foi aplaudida por muitos internautas: filiar-se ao PT.

Parece que esta é uma condição na Lava Jato de Moro e da PF: ser do PT.

Rir ou chorar?

Os filósofos sempre recomendaram rir da miséria humana em vez de chorar.

Riamos, então, da miséria da Justiça brasileira.

Posted: 30 Sep 2015 06:08 AM PDT


Nota de resposta ao Jornal Nacional

O ex-presidente Lula tem orgulho de ter atuado fortemente em seu governo para ampliar o espaço do Brasil e de empresas brasileiras nos mercados internacionais, sem ter jamais recebido nenhum favor ou pagamento por isso. Lula chefiou 84 missões empresariais de todos os setores a outros países, o que ajudou a multiplicar por 4 as exportações brasileiras. Tudo dentro da lei e a favor do Brasil.

Assessoria de Imprensa do Instituto Lula

***

Nota de resposta ao Estado de S. Paulo

Em seus dois mandatos, Lula chefiou 84 delegações de empresários brasileiros em viagens por todos os continentes. A diplomacia presidencial contribuiu para aumentar as exportações brasileiras de produtos e serviços, que passaram de US$ 50 bilhões para quase US$ 200 bilhões, e isso representou a criação de milhões de novos empregos no Brasil. Só uma imprensa cega de preconceito e partidarismo poderia tentar criminalizar um ex-presidente por ter trabalhado por seu país e seu povo.

Há uma repetitiva, sistemática e reprovável tentativa de alguns órgãos de imprensa e grupos políticos de tentar criminalizar a atuação lícita, ética e patriótica do ex-Presidente Lula na defesa dos interesses nacionais, atuação que resultou em um governo de grandes avanços sociais e econômicos, com índices recorde de aprovação.

Temos a absoluta certeza da legalidade e lisura da conduta do ex-presidente Lula, antes, durante e depois do exercício da Presidência do país, e da sua atuação pautada pelo interesse nacional.

Assessoria de Imprensa do Instituto Lula

Viomundo
Posted: 30 Sep 2015 06:00 AM PDT
Legisladores russos aprovam por unanimidade realização de ações militares no país árabe. Moscou diz responder a pedido direto de Assad e garante que usará apenas Força Aérea contra "Estado Islâmico".



O Parlamento da Rússia aprovou por unanimidade nesta quarta-feira (30/09) o pedido do presidente Vladimir Putin para enviar tropas à Síria, ainda que o Kremlin afirme que deverá utilizar apenas sua Força Aérea para combater os avanços do "Estado Islâmico" (EI) no país árabe.

A Constituição russa estabelece que o presidente precisa de aprovação parlamentar para que as Forças Armadas russas possam se envolver em conflitos no exterior. A última vez em que tal pedido foi realizado foi antes da anexação da Crimeia, em março de 2014.

O Conselho da Federação, a câmara alta do Parlamento russo, se reuniu a portas fechadas nesta quarta-feira para discutir o pedido de Putin. Sergei Ivanov, o chefe de gabinete da Presidência, afirmou após a discussão que a decisão foi unânime a favor do pedido, que não vai precisar de aprovação em outro órgão legislativo.

Ivanov assegurou que o país não vau enviar tropas à Síria, mas utilizará sua Força Aérea no intuito de "apoiar as forças do governo sírio em sua luta contra o EI", e explicou que a medida veio após um pedido de ajuda direto do presidente sírio, Bashar al-Assad

Segundo Ivanov, a Rússia decidiu apoiar Assad com a intenção de proteger a si própria dos jihadistas: "E não em razão dos objetivos de política externa ou das ambições de que nossos parceiros ocidentais costumam nos acusar", alegou. "Trata-se dos interesses de nossa segurança nacional", ressaltou o chefe de gabinete.

Ele argumentou que a Rússia se preocupa com o número cada vez maior de seus cidadãos que viajam à Síria para aderir ao EI, o que, segundo afirma, justificaria "medidas preventivas" a serem tomadas à distância, em vez de, posteriormente, ter que lidar com o problema em seu próprio território.

Ivanov disse ainda que a diferença entre os ataques aéreos realizados na Síria por outros países, como os EUA, é que eles não agem de acordo com as leis internacionais, ao conttrário da Rússia.

Putin se reuniu na segunda-feira com o presidente americano, Barack Obama , paralelamente à Assembleia Geral das Nações Unidas, para discutir o aumento da presença militar russa na Síria. Moscou já havia menosprezado as preocupações americanas, alegando que "especialistas militares" estiveram presentes por muitos anos no país para ajudar os sírios a lidar com equipamentos bélicos russos.

DW
Posted: 30 Sep 2015 05:56 AM PDT

A RBS é uma das empresas suspeitas de participação no esquema de corrupção montado para não pagar impostos e que sonegou bilhões de reais.


Naira Hofmeister
A notícia está entre os trending topics do twitter desde que começou a circular, na manhã desta terça-feira, 29, em Porto Alegre. O presidente executivo do grupo RBS – afiliada da Rede Globo no Rio Grande do Sul e Santa Catarina – Eduardo Melzer, pode estar de saída da casa.

Quem deu o furo foi o jornalista Luiz Cláudio Cunha, que desde o ano passado acompanha a crise na empresa em matérias publicadas no Jornal JÁ de Porto Alegre. Segundo Luiz Cláudio, o afastamento de Duda Melzer, como é conhecido, será oficializado em outubro.

A especulação – já conhecida há semanas no mercado da comunicação – ganha força a medida em que se aproxima o momento em que a Polícia Federal denunciará os primeiros nomes da Operação Zelotes.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, as gaúchas RBS e Gerdau são as empresas sobre as quais recaem os indícios mais fortes de participação no esquema de corrupção montado para não pagar impostos. Nesta primeira leva de denunciados estarão o nome de seis empresas e seus dirigentes, cujos crimes contra a Receita Federal somam R$ 5,7 bilhões.

A CPI do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), instalada no Senado Federal, já aprovou a convocação de Duda Melzer para dar seu depoimento sobre a investigação. Ainda que deixe o cargo, o executivo deverá ir ao Legislativo, neste caso como ex-presidente do grupo.

O Grupo RBS é, atualmente, o principal conglomerado de comunicações no Rio Grande do sul e em Santa Catarina. Detém, nos dois estados, quatro canais e 18 retransmissoras de TV que atingem quase 800 municípios, oito jornais impressos e sete rádios.

Executivo faltou a grandes eventos

A RBS não confirma a mudança na sua direção, mas o site Coletiva.Net, que cobre o mercado de comunicação gaúcho, endossou a matéria de Luiz Cláudio. “Há semanas circula no mercado a informação de que foi contratado um escritório de head hunters (caça-talentos) de São Paulo para identificar um profissional que assuma o comando do grupo”, diz um texto publicado no site.

A se confirmar a informação, será a primeira vez em mais de meio século de existência, que a condução da empresa deixará as mãos da família Sirotsky e passará para um profissional do mercado.

Em sua matéria, a Coletiva.Net elenca sinais de que Duda Melzer está de saída. Segundo o site, o presidente executivo faltou a dois grandes eventos do grupo realizados recentemente, o ZH Em Pauta e a entrega do Troféu Guri, na Expointer. “Na Expointer, uma das mais destacadas promoções do grupo de comunicação, o anfitrião e orador foi Nelson Sirotsky; Duda não compareceu”, assinala o texto.

Tesouradas atingiram homens de confiança

Duda Melzer é neto do fundador da empresa, Maurício Sirotsky e assumiu o comando do grupo em 2012, no lugar do tio, Nelson Sirotsky, que hoje é presidente do Conselho de Administração da companhia, onde tem assento outros parentes diretos ou indiretos do fundador.

A figura de Duda Melzer ganhou fama além dos círculos da comunicação em agosto do ano passado quando anunciou a demissão de 130 funcionários por e-mail, o que ele considerava uma demonstração de “coragem e desapego”.

“Temos apoio dos acionistas nas nossas decisões e temos também (...) coragem, energia e desapego para deixar de fazer coisas que não agregam e investir no que pode nos fazer crescer”, escreveu, na ocasião.

Duda também saudou as novas operações da empresa, vinculadas à indústria da bebida. “Muitos de vocês que já são sócios da Wine agora poderão também ser da Have a Nice Beer, o maior clube online de cervejas da América Latina, que está vindo para o Grupo”, destacou em seu comunicado.

Como a repercussão – inclusive entre leitores, ouvintes e telespectadores da empresa – foi ruim, a demissão em massa acabou sendo feita a conta gotas para evitar maiores desgastes à empresa.

Era tudo parte de um plano orientado pelo consultor Cláudio Galeazzi, que segundo Luiz Cláudio é conhecido como Galeazzi Mãos de Tesoura porque atua nas empresas para promover cortes em nome dos resultados positivos para acionistas.

“O fio agudo do consultor acabou sangrando até as relações entre criador e criatura, os dois Sirotsky que se revezaram no poder, Nelson e Eduardo”, revela Luiz Cláudio.

Os cortes teriam atingido gente de confiança do antecessor de Duda, Nelson Sirotsky. “Dois homens da tropa de elite de Nelson — o vice-presidente de jornais, rádio e digital, Eduardo Smith, e o diretor de jornalismo, Marcelo Rech — foram excluídos do círculo de decisão da RBS, provocando uma cisão irreparável nas relações entre tio e sobrinho”, relata o jornalista.


Créditos da foto: Reprodução


Carta Maior

30/9 - OBSERVATÓRIO DA IMPRENSA de HOJE

Quarta-feira, 30 de Setembro de 2015

ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº 870

Acesse o siteSobreContato
Reveja o programa da última terça-feira do Observatório da Imprensa na TV

MINISTRO DA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

Alberto Dines entrevista Edinho Silva




Assista também

CRISE HUMANITÁRIA

Refugiados na Europa





CRISE DE VALORES NA IMPRENSA

Novos padrões da indústria da notícia





INDEPÊNDENCIA DO BRASIL

Grito do Ipiranga





SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

Descriminalização das Drogas



*** Para enviar artigos, escreva a mailto:oicanaldoleitor@gmail.com

30/9 - RÚSSIA ATENDE PEDIDO DE DAMASCO



Secretário do parlamento sírio: crise na Síria chega ao fim graças à ajuda russa

Leia mais: http://br.sputniknews.com/mundo/20150930/2283110.html#ixzz3nHbnvGro




URL curta
Rússia combate Estado Islâmico na Síria (15)
281833380

No contexto da aprovação de uso da Força Aérea russa na Síria, a Sputnik publica o comentário do secretário do parlamento sírio, Khaled al-Abboud, para esclarecer a postura oficial das autoridades daquele país.

"Quem acompanhou atentamente as palavras de Vladimir Putin na Assembleia Geral da ONU, reparou que o presidente da Rússia insiste na criação de uma nova e verdadeira coalizão contra o terrorismo na região. Trata-se de uma coalizão aberta, que saúda qualquer participação por parte de todos os países, e que irá realizar uma atividade transparente, ao contrário da fechada Coalizão Ocidental que foi criada por Barack Obama para que uma série de países “sirva” a América. Quando Vladimir Putin começou a falar sobre a Síria, ele sublinhou que as Forças Armadas da Síria são a única força que combate terrorismo. Depois destas palavras, as autoridades da República Árabe da Síria certificaram-se de que o governo russo iria cooperar com elas e proporcionaria ao exército sírio a ajuda necessária. 
As ações dos colegas russos são uma nova etapa dos acontecimentos sírios que ninguém esperava. Bashar Assad pediu ajuda militar para lutar contra os terroristas. E é somente assim que nós devemos compreender o pedido do presidente sírio. A ajuda em forma de equipamento militar e material é diferente da presença militar das Forças Armadas. Por isso, não é preciso confundir o sentido do pedido de Bashar Assad. 
A ajuda militar da Rússia tinha sido fornecida desde sempre, mesmo durante os últimos anos. Bashar Assad é o comandante supremo das Forças Armadas da Síria. Ele tem pleno direito de pedir ajuda militar aos outros países para o seu exército. Em conformidade com a Constituição da Síria, ele não precisa de autorização do parlamento para tal solicitação. 
A crise síria está chegando a fim. Eu avalio esta etapa como “o início do fim” do que acontece no nosso país. Sim, é uma etapa muito violenta e implica derramamento de sangue de todos os lados, embora não queiramos isso. Mas a guerra é a guerra! Mas já é o fim! É o resultado da presença russa e da sua ajuda ao exército sírio. Os EUA não terão outro remédio senão aderir à nossa coalizão. A pressão militar e política da Rússia conduzirá ao sucesso a nossa união (Rússia-Síria-Irã) contra o terrorismo.
Sublinho que nós consideramos o passo de Putin de criação de um centro de coordenação contra o Estado Islâmico exatamente no Iraque (e não na Síria) como uma forma de mostrar ao mundo que a Rússia não se ocupa só da Síria, mas de toda a região. A Rússia precisa de segurança em toda a região e não apenas em um único país".


Leia mais: http://br.sputniknews.com/mundo/20150930/2283110.html#ixzz3nHb07sEB

30/9 - Suíça investiga Cunha

FONTE:http://portalmetropole.com/2015/09/suica-investiga-cunha-por-suspeita-de-corrupcao-e-lavagem-de-dinheiro.htm

Portal Metrópole

Suíça investiga Cunha por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro

O presidente da Câmara é suspeito de ter propina por vazamento de informações privilegiadas sobre venda para a Petrobras de campo de petróleo em Angola
Além das pendências judiciais no Brasil por suposto envolvimento nos esquemas de corrupção da Petrobras, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), também é investigado na Suíça. Lá, ele é suspeito de ter recebido propina por vazamento de informações privilegiadas na venda de um campo de petróleo em Benin, na África, para a Petrobras. A conta em que depositou o dinheiro está bloqueada, segundo autoridades do país. As informações são do jornal O Globo.
De acordo com a reportagem, a investigação sobre os supostos crimes já está avançada. Os documentos da apuração do Ministério Público da Suíça serão enviados ao Brasil até a próxima semana. Recebidos, o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, poderá optar por abertura de inquérito contra o presidente da Câmara e começar uma nova investigação, ou já apresentar uma denúncia contra o peemedebista. Cunha foi denunciado em agosto por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em decorrência da Operação Lava Jato.
Último delator da força-tarefa que fez menção a Cunha, o lobista João Augusto Rezende Henriques pode ter colaborado com a confirmação das suspeitas dos autos que correm na Suíça.  Ele disse que fez um depósito em conta que, mais tarde, descobriu que pertencia ao deputado fluminense. Segundo ele, o montante era uma retribuição à venda de um campo de petróleo na referida cidade angolana para a estatal brasileira.
O lobista contou que se tornou sócio do empresário Idalecio de Oliveira, dono do terreno negociado por US$ 15 milhões com a petrolífera, após receber as informações privilegiadas. Conforme explica no depoimento, Henriques ficou com US$ 7,5 milhões e, depois, fez pagamentos para pessoas que o ajudaram a concretizar a venda.